Uma grande perda para a literatura, #Educação e psicologia brasileira. Morreu no último domingo, 02 de agosto, às 19h, em São Paulo o psiquiatra Içami Tiba. Segundo o filho, Tiba estava hospitalizado desde o início desse ano para o tratamento de uma câncer no Hospital Sírio-Libanês. O enterro está marcado para às 16h desta segunda-feira, 03 de agosto, no Cemitério do Morumbi também em São Paulo.

O país está de luto

Içami Tiba publicou diversas obras sobre educação e criação dos filhos. Seus livros sempre foram referências para professores, educadores, psicólogos e psiquiatras e venderam mais de 4 milhões de exemplares. Além de escritor, ele foi professor e psiquiatra conceituado e muito respeitado pelos colegas de profissão.

Publicidade
Publicidade

Realizando cursos por todo o mundo. Sua principal obra foi o livro “Quem Ama, Educa!”, publicado no ano de 2002, com mais de 170 edições. Tiba também criou a Teoria da Integração Relacional. E publicou o livro “Homem Cobra Mulher Polvo”.

Em 2004, Içami Tiba foi apontado como o nome mais lembrado no Brasil como símbolo da psicologia em uma pesquisa. No mundo, ele foi indicado como terceiro mais lembrado, ficando atrás apenas de Sigmund Freud e Gustav Jung. Em seu consultório particular, o psiquiatra atendia mais de dois mil pacientes por ano, onde aplicava técnicas da Teoria da Integração Relacional e técnicas de psicodrama.

Tiba fez mais de 3,4 mil palestras durante sua extensa carreira. Ele palestrava para empresas, escolas, secretárias de educação no Brasil e no exterior.

Seus pais japoneses, chegaram ao Brasil em 1936 e se estabeleceram no interior de São Paulo.

Publicidade

Tiba estudou medicina na Universidade de São Paulo, se formando em 1968. Ele deixa esposa, três filhos e dois netos.

No domingo à noite, as redes sociais se encheram de mensagens de pesar pelo seu falecimento. Muitos artistas, escritores, educadores e fãs expressaram mensagens repletas de emoção pela sua morte. Içami Tiba deixa seu legado e suas teorias sobre educação do filhos eternizados em suas obras. #Escola