Presidente da Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas (ABEAD), a Dra. Ana Cecília Marques possui mais de trinta anos dedicados à pesquisa sobre o impacto das drogas nos indivíduos e na sociedade, e considera que o Brasil ainda precisa evoluir sua política de drogas antes de pensar efetivamente em descriminalizar qualquer tipo de substância.

Segundo ela, a política de drogas do país deveria estar focada em prevenção, promovendo debates públicos e explicando para a população o que é a droga. Ou seja, preparando a população para qualquer tipo de medida que fosse adotada posteriormente. “Eticamente é um direito humano o indivíduo saber o que a droga faz, qualquer droga, todas, tem de se fazer prevenção.

Publicidade
Publicidade

E a política não faz nada prevenção”, afirma.

Para a pesquisadora, a falta de informação cria alguns mitos, como por exemplo a ideia de que a maconha seria medicinal, quando essa propriedade estaria atrelada apenas ao canabidiol, um dos vários componentes da droga, sendo necessário haver mais pesquisas para avançar nessa direção. Casos como esse, ela afirma, comprovam uma situação de ignorância sobre o assunto que poderia ser combatida com uma prevenção que, a exemplo do que foi feito com a AIDS e o tabaco, campanhas que ela aponta como bem-sucedidas, promoveria, entre outras medidas, campanhas e informações na TV #Governo #Legislação #Opinião