Nesta quinta (17), a 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco (AC)  julgou a empresa TelexFree culpada por formação de pirâmide financeira e determinou que os valores arrecadados sejam devolvidos aos divulgadores. Além disso, aplicou uma multa de R$ 3 milhões, além de cobrar as custas judiciais do processo.

Apesar da empresa alegar que era uma Rede de Marketing Multinível, a justiça disse que a alegação não procedia e todo o esquema se tratava de uma pirâmide financeira sustentada somente pela entrada de outros membros na rede, que se cadastravam e compravam pacotes de telefonia VoIP e também pelo recrutamento de outras pessoas para entrar no esquema.

Publicidade
Publicidade

Após o bloqueio determinado pela justiça no site da empresa em 2013, os divulgadores ficaram sem condições de promover a empresa e executar as tarefas de divulgação e propaganda do serviço VoIP, levando todo o esquema ao colapso. Diante do prejuízo, várias pessoas procuraram o Ministério Público do Acre e entraram com ações coletivas cobrando o ressarcimento do valor investido.

De acordo com matéria no Valor Econômico, as pessoas que compraram planos com CPF falsos não terão direito a ressarcimento do dinheiro que investiram na empresa. Segundo o Ministério Público, foi detectado que milhares de cadastros foram feitos com números falsos e que isso serviria para impulsionar os ganhos das lideranças que captavam novos divulgadores.

Para os cadastros que foram validados pela justiça na investigação conseguirem receber os valores, as pessoas deverão apresentar documentos pessoais e também papeis que comprovem o investimento realizado.

Publicidade

Para tanto, o MP orienta que as pessoas procurem um advogado para se informar melhor. Sobre a decisão julgada pela justiça, ainda cabe recurso por parte da empresa.

O CASO TELEXFREE NOS EUA

Em 2013, a matriz da TelexFree nos EUA foi alvo de investigação da Justiça Federal Americana que acabou com o bloqueio dos bens e saldos bancários, além da proibição no cadastro de novos divulgadores. Um dos proprietários da empresa, James Merrill, chegou a ser preso em operação realizada em conjunto com a polícia e investigadores federais. 

Após a intervenção, foi determinada a recuperação judicial da empresa e o reembolso para todos os divulgadores cadastrados no sistema da empresa. A Corte de Massachusets começou a liberar pagamentos parciais para moradores do estado americano.

outra empresa acusada de pirâmide financeira, que vendia pacotes de telefonia Voip foi bloqueada e teve bens e valores apreendidos. Recentemente, alguns consumidores de Massachusetts começaram a receber da justiça americana parte do reembolso de valores que foram investidos na empresa, como forma de reparação. #Negócios #Finança #Crime