Na última sexta-feira, dia 4 de setembro, na Catedral da Sé, bem no centro de São Paulo, dois homens foram mortos e uma garota de 25 anos foi baleada, tendo conseguido sobreviver aos ferimentos. Segundo informa a imprensa local, tudo começou quando um assaltante apontou uma arma para roubar Elenilda Mariano, que foi feita refém quando policiais militares conseguiram cercar o criminoso. Tal como é possível se ver no vídeo que está correndo nas redes sociais, a situação estava complicada e um morador de rua aproveitou a oportunidade para atacar o assaltante por trás, só que ele disparou contra o “herói” à queima-roupa, matando-o no local.

Elenilda Mariano, uma garota de 25 anos, estava saindo de um banco, depois de ter feito um levantamento, até que, no outro lado da praça, um criminoso a tentou assaltar com uma arma de fogo.

Publicidade
Publicidade

Segundo a imprensa local, a mulher não teria dado logo aquilo que o criminoso queria, tendo ele a feito refém, à medida que era cada vez mais cercado pelos policiais de São Paulo.

Porém, com a situação muito complicada, um morador de rua, de 61 anos, se certificou de toda a situação e tentou surpreender o criminoso, atacando-o por trás. Contudo, ele conseguiu se virar e disparar duas vezes à queima-roupa contra o “herói” do dia, que conseguiu que a garota conseguisse fugir sem que o criminoso notasse. Depois dos dois disparos, os policiais se viram obrigados a atirar em cima do assaltante, matando-o com cerca de 20 tiros.

No final de toda essa violência, dois homens perderam a vida violentamente à frente da Catedral da Sé, em São Paulo, e, tal como dá para ver no vídeo do incidente, é possível verificar um grande mar de sangue, principalmente do morador de rua, que se sacrificou para salvar a menina, acabando sendo morto, como confirmou as autoridades brasileiras à imprensa.

Publicidade

Nas redes sociais, a notícia está emocionando o Brasil, que pretende agora fazer uma justa homenagem ao morador de rua, que salvou a garota em apuros, sem olhar para as consequências de suas ações. #Crime #Blasting News Brasil #Casos de polícia