Mais um caso explícito de corrupção escandaliza o Brasil e mostra a deficiência dos gestores públicos em fiscalizar o dinheiro público. Seria até mais um caso de alguém querendo ficar famoso ou alguma celebridade emergente, porém, o caso não seria tão sério se não envolvesse dinheiro do governo federal na história.

Lidiane Leite, prefeita eleita da cidade de Bom Jardim, localizada a quase 270 quilômetros da capital São Luís, no estado do Maranhão é acusada de desvio de dinheiro público. Pesa sobre ela a acusação de se apropriar de dinheiro que é destinado à merenda escolar e à reforma das escolas do município. De acordo com a justiça, o montante desviado pode chegar a 22,8 milhões de reais, que foram parar na conta pessoal da prefeita desde que assumiu o cargo no início do ano de 2013.

Publicidade
Publicidade

A prefeita eleita não tem nenhuma vocação política. Tampouco, tradição política no município. Ela simplesmente entrou na política por acaso e de paraquedas. Tudo para driblar uma restrição de seu hoje, ex-marido, e então possível candidato na época, Beto Rocha (PMN). Como o mesmo estava ameaçado de ter a sua candidatura impugnada, pois o mesmo esbarrara na Lei da Ficha Limpa, ele decidiu colocá-la em seu lugar. Deu certo. A mesma foi eleita. Então a vida de pessoa pobre, como mesmo ela gosta de afirmar, transformou-se. Deslumbrada pela quantidade de recursos que recebia para administrar para o município, a mesma começou a confundir o que é privado com o que é publico.

Segundo dados da Polícia Federal, o dinheiro desviado foi usado para gastos pessoais. Numa única boutique em São Luís, a mesma chegou a  torrar a modesta quantia de R$ 40.000,00.

Publicidade

O dinheiro também foi usado para melhorar o visual que hoje ela gosta de exibir nas redes sociais.

De acordo com  as investigações, foram duas intervenções cirúrgicas desde 2013. Acrescente-se a isto uma lipoaspiração e uma colocação de próteses de silicone. A prefeita recauchutada ainda tem o hábito de discutir com quem a critica nas redes pelo seu costume de se exibir. Daí, o apelido de "prefeita ostentação", uma analogia aos cantores de funk que possuem o mesmo hábito.

"Leide Day", como é conhecida entre os íntimos, numa adaptação grosseira do nome da princesa Diana, ao saber que estaria sendo investigada pela justiça, tratou de sumir do mapa. Mas continua ativa nas redes, onde continua a desfilar com sua aquisições. É comum vê-la em baladas, como assídua frequentadora da boate Pink Elephant, que a mesma faz questão de registrar tudo no Instagram. Antes de sumir, ela tratou de entrar na justiça com um mandato que impede a Câmara dos Vereadores de Bom Jardim de votar pelo seu afastamento.

Publicidade

Assim, a cidade segue sem prefeito. A vice prefeita Malrinete Gralhada também encontra-se impedida, pela mesma liminar, de assumir a prefeitura.

O Ministério Público prossegue com as investigações sobre o real valor que foi desviado. Sabe-se, porém, que foi o suficiente para que, no Município, as escolas encerrem suas atividades às 9h30 da manhã, pois os alunos não dispõem de merenda escolar. Além disto, as escolas estão deterioradas e sem banheiro. Os professores estão com os salários atrasados e o material escolar, a ser distribuído pela prefeitura, nunca chegou. A polícia continua no seu encalço. Cadeia para a prefeita ostentação.     

  #Crime #Corrupção #Blasting News Brasil