Nesta segunda-feira (7), a chegada da chama crioula ao Parque Harmonia, no centro de Porto Alegre, representou, oficialmente, a abertura do Acampamento Farroupilha de 2015. O evento, que é uma das maiores referências à cultura tradicionalista do Rio Grande do Sul, vai até o dia 20.

Mas houve espaço para protestos durante a abertura. Ao ser chamado para representar o governador José Ivo Sartori na cerimônia oficial, o secretário de Segurança Pública do RS, Wantuir Jacini, ouviu sonoras vaias do público presente. Outras autoridades, como o prefeito José Fortunati, também compareceram.

As vaias ocorrem justamente em um momento onde o Estado mais sofre com a insegurança.

Publicidade
Publicidade

Na capital, por exemplo, uma onda de crimes e assaltos marcaram de forma negativa aquele que deveria ser um feriado de descanso e lazer para milhares de gaúchos.

Os agentes de segurança pública do Rio Grande do Sul sofrem com a falta de condições de trabalho, como novas fardas, viaturas e equipamentos. Além disso, o parcelamento de salários realizado pelo governo estadual, como forma de amenizar a crise financeira, gerou a revolta do funcionalismo público.

Wantuir Jacini também teve o seu nome envolvido no centro de uma polêmica no mês de maio. Na ocasião, o seu filho, Wantuir Francisco Siqueira Jacini, foi nomeado para um cargo na Secretaria Estadual da Saúde. Ciente da polêmica, ele pediu exoneração no mesmo dia. Contudo, no início de agosto, ele voltou a ser indicado para ocupar uma vaga na mesma pasta.

Publicidade

#Crime #Violência #Casos de polícia