Foi preso na última sexta-feira (25), o pintor de paredes Jorge Luiz Morais de Oliveira, 41 anos. A prisão ocorreu depois de uma denúncia alegando que o pintor havia matado seu vizinho, um jovem homossexual e ocultado o corpo em sua casa, na Favela Alba, zona sul de São Paulo, região do Jabaquara. 

Segundo o portal de noticias G1, Jorge Luiz ficou preso durante 17 anos e 9 meses, por causa de dois homicídios nos anos de 1994 e 1995. Seu comportamento enquanto preso também não foi dos melhores, esteve envolvidos em rebeliões de presos. Respondeu também pelos crimes de sequestro, formação de quadrilha e cárcere privado. Jorge Luiz deixou a prisão no dia 7 de novembro de 2013.

Publicidade
Publicidade

Entenda mais sobre o caso

Jorge Luiz Morais de Oliveira, esteve no 16º Distrito Policial nesta terça -feira (29), para prestar depoimento sobre  o assassinato do jovem homossexual. Segundo o delegado Eldizio Correia de Lima, ele vai responder neste caso por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver.

Corpos encontrados na casa do Serial Killer

A polícia civil encontrou o corpo de uma sétima vítima na manhã desta terça-feira (29), na casa do pintor.

Porém na segunda-feira (28), a mãe e a companheira de uma mulher que desapareceu na região, fizeram buscas por conta própria na casa de Jorge Luiz em busca de pistas, já que o local não foi isolado pela polícia.

Durante as buscas elas encontraram outros restos mortais e acionaram a polícia novamente, que retomou as buscas por novas vítimas no local. 

Nilze Scapulatiello, delegada do 35º Distrito Policial, foram encontrados na casa do Jorge Luiz, roupas, calçados, restos mortais e fotos de seis pessoas.

Publicidade

A polícia vai buscar informações sobre as pessoas das fotos e verificar se estão desaparecidas. Diante destas evidências a polícia acredita quê pessoas foram mortas e enterradas na casa do pintor.

A delegada afirmou que " tem homem, tem mulher, roupas, sandálias, sapatos, inclusive de crianças, pegamos todos os registros de pessoas desaparecidas nesta área e vamos chamar os parentes e responsáveis na tentativa de identificar algo"

Buscas pela estudante

A mãe e a companheira da estudante de 33 anos, Renata Christina Pedrosa desapareceu na região do Jabaquara. Ela foi vista pela última vez na favela próximo a viela onde fica a casa do pintor. Ela sempre ia ao local comprar maconha para seu consumo. 

Quando ficaram sabendo da causa da prisão do pintor, decidiram ir até o local para tentar encontrar algum pertence da estudante. Entretanto Maria de Fátima, mãe da estudante, afirmou que não encontrou nenhum pertence de sua filha no local, ela ainda tem esperanças de encontrar sua filha com vida. " Só vou acreditar que minha filha está entre as vítimas se eu ver alguma coisa dela, ou com DNA". #É Manchete! #Investigação Criminal #Casos de polícia