Foi publicado no Diário Oficial de 19 de Junho de 2015 a Resolução CONTRAN Nº 537 de 17/06/2015 que dispõe sobre a implantação do Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos – SINIAV - em todo o território nacional.

O sistema é baseado em um chip (placa eletrônica) instalado no para-brisa do veículo que transmitirá, para antenas ou totens, as informações sobre a situação fiscal do veículo, como licenciamento, IPVA e multas. Também possibilitará o pagamento automático do uso de estacionamentos públicos, e, ainda, em Estados que tenham o sistema de semáforos interligados e controlados eletronicamente, reduzir congestionamentos, remetendo dados de fluxo de veículos em tempo real para a central de controle que, assim, poderá ajustar os tempos de espera dos semáforos para agilizar o fluxo de trânsito.

Publicidade
Publicidade

Para o transporte de carga, o sistema possibilitará garantir mais segurança aos motoristas e empresários, as placas eletrônicas instaladas tanto na carreta quanto no “cavalo”, permitiriam monitorar o motorista e a carga.

O G1 carros informa que a consultoria de mercado Frost & Sullivan prevê que até 2020 esse sistema permitirá a interconexão urbana inteligente, é o conceito de "cidades conectadas", que para implantação e manutenção estima-se que movimentará cerca de US$ 1,5 trilhão.

O DETRAN-SP informa que os custos para o cidadão que terá de adquirir o chip, ainda estão altos por existir somente uma empresa homologada para fornecer os equipamentos do SINIAV, inviabilizando, por ora, a concorrência em uma eventual licitação pública, fundamental para reduzir os custos de implantação do sistema.

Publicidade

A resolução do CONTRAN não esclarece como serão cobertos os custos da instalação dos chips e dos demais equipamentos do sistema. Conforme Marcos Traad, presidente da Associação Nacional dos DETRANS (AND), que são os responsáveis pela instalação do sistema, os custos de implantação desse sistema é alto, principalmente por envolver tecnologia, como a instalação de antenas e de programação de chips. Como não está definido que os custos serão transferidos para o cidadão, na dúvida, resolveram aguardar alguma definição. #Inovação #Governo #Internet