Em casa ou nas ruas, dentro da família ou por estranhos, o #Crime que mais fere a honra e a dignidade das mulheres segue ocorrendo em larga escala no território brasileiro. Em um país que apresenta problemas crônicos em sua segurança pública, o estupro surge como uma das manifestações violentas que não escolhe hora, local ou pessoa. Simplesmente ocorre, marca a vítima e aumenta os alarmantes dados que chocam ao serem lidos.

Em todo o ano de 2014, o Brasil apresentou, no mínimo, 47.646 casos de estupros, segundo dados divulgados nesta semana por meio de um levantamento entre todas as secretarias de segurança estaduais realizado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Publicidade
Publicidade

Os números constam no 9° Anuário de Segurança Brasileira e demonstram a fragilidade do poder público em oferecer proteção às mulheres e aos cidadãos de uma forma geral.

Não que isso sirva como motivo para alguma comemoração, mas, de qualquer forma, o número apresentou uma sensível queda com relação ao observado em 2013. Há dois anos, 51.090 casos de estupro foram registrados no Brasil. Em 2014, o número caiu 7%. Ainda assim, o cálculo realizado indica um caso de #Violência sexual a cada 11 minutos. Violência contra vulneráveis, isto é, ações cometidas contra menores de 14 anos, também foram consideradas pela pesquisa.

Só que os números expostos no levantamento do Fórum computam apenas os crimes que foram registrados pelos respectivos órgãos estaduais. Dessa forma, não há a contagem das inúmeras vítimas que também padecem sob esse tipo de crime, mas, por uma razão ou outra, acabam não procurando a polícia ou prestando queixa.

Publicidade

Imagina-se, a partir desse raciocínio, que o número de estupros ocorridos de fato no Brasil possa ser bem maior que a média aproximada de 50 mil no biênio 2013/14.

Essa situação fica clara quando comparada com o estudo do tema realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), que aponta que somente 10% dos casos de estupros ocorridos no país chegam ao conhecimento dos órgãos competentes de autoridades de segurança pública.

Roraima apresenta o maior número de casos

Tendo como base os boletins de ocorrência registrados pelos órgãos públicos responsáveis, o estado de Roraima é o que apresenta a maior taxa de estupro no território nacional. Em média, são 55,5 casos para cada 100 mil habitantes. Espírito Santo, por sua vez, detém a marca de menor taxa, com somente 6,1. Goiás, Minas Gerais e Rio Grande do Norte são os outros únicos estados que também apresentam taxa inferior a 10 por 100 mil.

Ainda segundo estatísticas liberadas pelo Anuário, o Brasil também registrou 5.042 tentativas de estupros em todo o ano de 2014.

Publicidade

Um ano antes, o registro era de 4.897.

As estarrecedoras médias, tanto de estupro direto como de tentativas, só comprovam o quanto o Brasil ainda sofre para enfrentar uma das principais mazelas da sociedade: a violência. E o pior: a dificuldade em oferecer proteção e tranquilidade capazes de evitar a violência sexual, que machuca o corpo e a honra. #Casos de polícia