A história sobre um homem que teria encontrado uma pepita de ouro de 20kg, a cerca de um mês, circula nas redes sociais e tem gerado alvoroço em pequena cidade do Mato Grosso. O município de Pontes e Lacerda está localizado na fronteira do Brasil com a Bolívia, e tem aproximadamente 40 mil habitantes, segundo artigo publicado pelo site 'época negócios'.

O artigo relata comentários dos moradores como: "Até na cidade dá para achar ouro, mas como há muito tempo não se encontrava nada as pessoas procuram outras formas de ganhar dinheiro". Porém, com a expectativa de novas descobertas, mais de 3 mil pessoas já teriam chegado à cidade, atraídos pelo brilho do minério valioso.

Publicidade
Publicidade

As cabanas e lonas têm se espalhado ao pé das serras de Bordas e Santa Bárbara. Os milhares de garimpeiros que têm se instalado nessas regiões são de vários estados, com predominância de Rondônia, Pará e Bahia.

Segundo comunicado da prefeitura de Pontes e Lacerda, a região, que já é conhecida popularmente pelos novos forasteiros como "Nova Serra Pelada", fica numa APP (Área de Proteção Ambiental). Contudo, os aventureiros à procura do metal precioso acessam a área por meio das fazendas de particulares, para, em seguida, seguirem um trajeto de mais de 600 metros serra acima.

As mudanças da rotina da cidade continuam diariamente. Um exemplo é no comércio do ramo de vendas de pás e picaretas, que se encontram em falta, além de que próprios comerciantes têm encontrado dificuldade em manter seus funcionários, que tem preferido ir para o garimpo e acabam abandonando suas atividades anteriores.

Publicidade

Outro fator é a rede hoteleira que está abarrotada de novos hóspedes. Segundo o artigo, mesmo quem não tem experiência como garimpeiro tem ganhado cerca de R$ 800,00 por dia com as "sobras" deixadas para trás pelos chamados "garimpeiros profissionais", a grama tem valor entre R$ 100,00 e R$ 120,00, completa o artigo.

Ação

O Ministério Público do Mato Grosso deixou ajuizada uma ação civil afirmando que a exploração da área de preservação é ilegal e solicita junto a Justiça Federal o fechamento do garimpo e a remoção das pessoas da região, já que não há autorização ou licença emitida pelo órgão competente (Departamento Nacional de Exploração Mineral). #Natureza #Curiosidades #Blasting News Brasil