Pelo quarta vez seguida, a Bahia não participa do Horário de Verão. O estado, que desde 1985 participava da mudança, optou em ficar de fora pela primeira vez em 2011, sob a alegação de que a economia proporcionada pela adesão não compensaria a má recepção da população à ideia.

Segundo pesquisas realizadas pelo #Governo do estado, 72% dos baianos são contra o Horário. A principal queixa das pessoas seria em relação à pouca luminosidade nas primeiras horas da manhã, situação que geraria bastante insegurança na população. 

O argumento não é bem aceito pelos empresários do estado, que consideram a justificativa fruto de desinformação, já que, de acordo com dados do Programa Nacional de Segurança Pública, a principal incidência de assaltos ocorreria no final da tarde.

Publicidade
Publicidade

Assim, a hora a mais de iluminação do sol contribuiria para a segurança da população, e não o contrário.

Para o empresariado, o prejuízo de não adotar o fuso é considerado grande, já que atrapalharia as transações financeiras com os grandes centros econômicos do país, basicamente Rio e São Paulo, que anualmente aderem ao Horário de Verão. Apesar dos apelos da categoria, que tentou mudar a decisão antes de o Horário entrar em vigor este ano, o governador Rui Costa manteve a posição e o estado não participa do Horário de Verão mais uma vez.