Além dos descontos atrativos comuns à data, a Black Friday este ano terá um atrativo a mais: o fim da vigência da isenção fiscal para produtos eletrônicos como smartphones, tablets e computadores pela chamada Lei do Bem.

Em medida provisória aprovada em 31 de agosto deste ano, a presidente Dilma Rousseff revogou a taxa zero de PIS/Cofins para eletrônicos produzidos no país, em vigor desde 2005. Assim, a partir de 1º de dezembro esses produtos ficarão cerca de 10% mais caros.

Como a Black Friday acontece alguns dias antes de a medida entrar em vigor, o evento será uma das últimas oportunidades de conseguir adquirir produtos eletrônicos mais baratos pela isenção de impostos.

Publicidade
Publicidade

Isso também deverá servir de incentivo para antecipar as vendas natalinas, sobretudo pelo cenário de crise.

Uma pesquisa realizada pelo comparador de preços Zoom revelou que mais de 50% dos consumidores estão cientes do aumento e buscarão oportunidade de fugir dele na Black Friday. Por outro lado, mais de 30% dos consumidores revelaram desconhecer o aumento.

Ainda de acordo com a pesquisa, os smartphones são o principal objeto de desejo dos consumidores na Black Friday, com 57% de intenção de compra.   #Negócios #Governo