A #Greve dos bancos continuará por tempo indeterminado. Quem precisa contar com os serviços bancários, vai ter que esperar mais um pouco, pois, após uma negociação mal sucedida entre o sindicato dos bancários e os bancos, os trabalhadores decidiram continuar em greve, por tempo indeterminado, até que uma proposta seja aceitada por eles.

A greve já dura 15 dias e tem prejudicado milhões de trabalhadores, os quais, dependem dos bancos para resolver inúmeras pendências cotidianas, desde de pagar uma conta atrasada, até mesmo depositar um dinheiro. Já são mais de 12.567 agências fechadas, em todos os estados do Brasil.

Trabalhadores querem ter reajuste acima da inflação

A pendência que ainda não foi resolvida é em relação ao reajuste dos salários.

Publicidade
Publicidade

Os trabalhadores não querem apenas um reajuste em relação a inflação, o que daria um aumento de 10%, eles querem um ganho real e por isso pleiteiam 16% de aumento no salário, mais Participação nos Lucros e Resultado (PLR). Além disso, querem também um aumento nos vales alimentação e no auxílio-creche/babá.

Proposta rejeitada

A segunda proposta feita pelos bancos, uma primeira de 7,5% já havia sido rejeitada, que oferecia um aumento de 8,75%, mais um PLR de 7%, além de um acréscimo de 6% no vale alimentação e no auxílio creche/babá, também foi rejeitada pelo sindicato, o qual, pede um aumento acima da inflação, e, por isso, os trabalhadores bancários continuam em greve, a qual, não deve terminar antes do fim deste mês.

Greves ocorreram também em 2013 e 2014

É importante ressaltar que as greves bancárias, assim como, as greves de professores, têm virado rotina no país, pois, elas também ocorreram nos anos de 2013 e 2014, quase sempre apresentando resultados positivos para os grevistas, que conseguiram ser atendidos em quase todas as suas reivindicações após negociações.

Publicidade

E vocês, como veem essa greve dos bancos, que pleiteiam um salário acima da inflação, justamente, em um momento de #Crise no Brasil? Participem da discussão, deixam aqui seus comentários. #Blasting News Brasil