À zero hora de domingo (18), todos devem ajustar os seus relógios para entrar novamente no período do Horário de Verão. O horário de verão no Brasil este ano vai de 18 de outubro até 21 de fevereiro de 2016. A mudança afetará o fuso horário de 10 estados no Brasil: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal.

Na hora da mudança, basta adiantar os relógios em uma hora. Para quem não sabe, o horário de verão segue regras estipuladas por decreto,  o 6.558 de 2008. O Ministério de Minas e Energia informa que a versão 2015/2016 está baseada nessas regras, que fixam a duração do horário de verão em quatro meses. 

Mas, de acordo com matéria divulgada pelo site de notícias G1, há estudos que têm avaliado de que forma essas mudanças impactam na vida de todos - e pasmem! Não se resume apenas ao mau humor.

Publicidade
Publicidade

De acordo com esses estudos, a mudança no horário traz impactos no período de trabalho, na prática de exercícios físicos e outros.

Conheça efeitos curiosos que o horário de verão pode causar, de acordo com a ciência

1. Mais atividade física

Publicada pelo International Journal of Behavioral Nutrition and Physical Activity, uma pesquisa apontou um aumento na prática de exercícios físicos, principalmente crianças, durante o período de vigência do horário de verão. Foram também analisados dados de estudos feitos anteriormente - no total a avaliação abrangeu 23,188 crianças entre 5 e 16 anos, de nove países. 

Os resultados foram tão relevantes que os pesquisadores propuseram a expansão do horário de verão, na Europa e Austrália, pensando em promover mais benefícios para a saúde pública.

Essa primeira foi a notícia boa, acontece que as seguintes não são tão assim tão amigáveis.

Publicidade

2. Sono na escola

Entre os mais sofredores estão, certamente, os estudantes que frequentam a escola no período da manhã. Foi avaliado um grupo de 40 estudantes do ensino médio, e os resultados mostraram que houve uma queda de 32 minutos nas noites que seguiram à mudança de horário. A publicação dessa pesquisa foi da revista Journal of Clinical Sleep Medicine.

3. Maior improdutividade no trabalho

Sabem quem é a vilã? A internet! Por mais incrível que possa parecer, a mudança de horário pode fazer com que se passe mais tempo enrolando na internet em vez de trabalhar. A revista Journal of Aplied Psychology foi quem trouxe a publicação que conclui  que o impacto da mudança de horário leva funcionários a passar mais tempo navegando e "matando tempo" na internet, durante o horário de trabalho. Esse estudo foi também feito com estudantes, e os que tiveram menos horas de sono se distraíram mais na internet do que os que haviam dormido bem.

4. Ruim para o coração

Há registros de várias pesquisas que associaram a entrada do horário de verão ao aumento do número de infartos.

Publicidade

É percebido na primeira semana após a mudança e apesar de ser um efeito pequeno, pode ser bem significativo para quem apresenta outros fatores de risco. Os especialistas aconselharam que se acorde mais tarde na segunda-feira de manhã, pois, segundo eles, dormir mais fará bem.

5. Acidentes fatais

A pesquisa que aponta esse fato é de 2001 e foi publicada na revista Sleep Medicine. O estudo avaliou dados de acidentes ocorridos nos dias seguintes à mudança de horário. A conclusão que se chegou foi a falta de mais tempo para dormir na segunda-feira após a mudança. Tanto que os pesquisadores sugeriram que se adotassem Os pesquisadores sugerem a adoção de políticas públicas voltadas para alertar a população sobre as possíveis consequências da privação de sono nesse período. 

Muito bem, percebe-se que, além do horário de verão, surge uma nova vilã nessa história toda: a segunda-feira!

Brincadeiras à parte, se deve sim, considerar a privação de sono nos dias iniciais, principalmente porque sabemos que sono e direção não combinam. #Curiosidades