Um dos profissionais mais conhecidos da TV Centro América, o jornalista Alex Barbosa, acabou sendo detido enquanto realiza uma reportagem para a afiliada da TV Globo no Mato Grosso. O profissional da mídia fazia uma matéria com simulação de transporte de cocaína entre dois países, Bolívia e Brasil. O objetivo do jornalista era provar que o combate ao tráfico é fraco na fronteira entre os países. 

Além de Alex Barbosa, outros três funcionários do canal foram presos em flagrante. Eles carregavam 240 quilos de gesso em pó. A detenção aconteceu na altura da BR 070, em Cáceres. Depois de dizerem que se tratava de uma reportagem, eles foram conduzidos até à Polícia Federal, de onde foram liberados.

Publicidade
Publicidade

Antes disso, no entanto, eles tiveram que prestar depoimentos. Apenas às 3h desta terça-feria, 13, os trabalhadores da afiliada da TV Globo foram liberados. 

Em entrevista ao site Notícias da TV em reportagem publicada nesta terça, Alex Barbosa disse que a reportagem não foi um  fracasso, já que ele e a equipe ficaram doze horas rodando com o automóvel que tinha a falsa cocaína. Ao todo foram 600 Km até ocorrer a abordagem.

A abordagem foi realizada por servidores do Gefron, policias que trabalham no Grupo Especial de Fronteira. De acordo com os profissionais da segurança, os dois veículos da afiliada da Globo, uma Parati e um Gol, estavam muito baixos por conta da grande carga. Isso fez com que os policiais pedissem que os carros parassem, não sendo muito difícil encontrar a falsa cocaína. 

A Polícia Federal fez um exame para detectar que de fato o material não era nenhum tipo de droga.

Publicidade

O cuidado aconteceu porque os pacotes usados pelo jornalista foram muito parecidos com os utilizados por traficantes. De qualquer forma, os profissionais precisarão responder a um inquérito policial, já instaurado. 

De acordo com Alex Barbosa, o material poderia ser aproveitado para o 'Jornal Nacional'. Antes de realizar a matéria, a TV Centro América entrou em contato com o Ministério Público Federal, que teria autorizado a operação para demonstrar que de fato o policiamento seria frágil. #Crime