Mais uma polêmica está rondando a vida do deputado federal Marco Feliciano, do PSC de São Paulo. Um grupo ativista dos direitos dos homossexuais fez um "beijaço" contra a presença do pastor no Acre. Feliciano era aguardado com grande expectativa em um evento evangélico. O fato polêmico aconteceu na noite desta sexta-feira, 02. Casais de homens e mulheres se beijaram na Concha Acústica, localizada no Parque da Maternidade. A região está situada no Centro de Rio Branco. De acordo com informações do G1, Feliciano disse que desistiu de ir ao evento porque estava doente e não por conta do "beijaço". 

Marco Feliciano era aguardado no 'Aviva Rio Branco'.

Publicidade
Publicidade

O evento evangélico teria o deputado como uma das atrações mais famosas. Feliciano já deu diversas declarações que deram o que falar sobre os homossexuais. Grupos de todo o país vivem fazendo protestos contra ele. No Acre não foi diferente. Cerca de 50 pessoas foram até o local para se beijarem. Maycon Gomes, um dos organizadores do evento, disse que os homossexuais eram fracos perto do evento gospel e que não conseguiram tirar os participantes da atração que contaria também com uma conferência. O organizador ainda disse ao G1 que o que iria prevalecer era a vontade de Deus.

Depois que Marco Feliciano realmente cancelou sua ida ao evento, o organizador mudou o tom e lamentou o ocorrido dizendo apenas que o importante é adorar a Deus. Já um dos responsáveis pelo "beijaço", Fernando dos Anjos, revelou que o protesto não era contrário à nenhuma religião, mas sim à figura do deputado federal.

Publicidade

"A gente não veio aqui para prejudicar o evento dos evangélicos, mas para que as pessoas reflitam sobre aquilo que estão pregando. Somos contra quem odeia gays, negros e mulheres", desabafou o organizador. 

Uma das jovens, no entanto, disse que chegou a ser agredida por uma pessoa que estava indo ao evento evangélico. Segundo ela, uma mulher tacou um sapato nela. "Foi uma agressão que aconteceu simplesmente do nada", lamentou Rebeca Rodrigues.  #Casos de polícia