A 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça decidiu restabelecer a condenação do jornalista da TV Record, Paulo Henrique Amorim. As informações foram confirmadas pela Revista Conjur nesta sexta-feira, 16. De acordo com a publicação, o profissional da mídia foi condenado a um ano e oito meses de reclusão, inicialmente em regime aberto, por ter feito injúria racial contra o também jornalistas e apresentador da Rede Globo de Televisão, Heraldo Pereira. Por conta da idade avançada, ter mais de 70 anos, a pena de reclusão acabou sendo convertida em restritiva de direitos. 

A condenação ocorreu por um motivo antigo e que já teve vários episódio na justiça.

Publicidade
Publicidade

Tudo começou ainda em 2009, quando Paulo Henrique Amorim usou o seu blog, o 'Conversa Afiada', para fazer um post criticando Heraldo Pereira. No texto, ele disse que o eventual apresentador do 'Jornal Nacional' é um "negro de alma branca". Ainda na publicação, Amorim escreveu que Pereira "“não conseguiu revelar nenhum atributo para fazer tanto sucesso, além de ser negro e de origem humilde”. 

O profissional da mídia que apresenta o 'Domingo Espetacular' na TV Record já havia sido condenado anteriormente, mas a Câmara do Tribunal de Justiça do Distrito Federal havia julgado prescrita a condenação dada ao jornalista. Na decisão do Superior Tribunal de Justiça, o desembargador Ericson Maranho, concluiu que injúria racial é um #Crime que não prescreve. 

Crime que continua valendo

O desembargador disse que o preconceito de cor acaba conspirando em uma segregação da sociedade e que a não prescrição do crime estaria definida na lei 7.716 de 1989.

Publicidade

Heraldo Pereira, a Rede Globo de Televisão e a TV Record não comentaram a decisão do Supremo Tribunal de Justiça. Essa não é a primeira vez que Paulo Henrique Amorim é condenado. Ele é considerado muito polêmico e por muitas vezes acabou sendo processado por suas opiniões.

Se no 'Domingo Espetacular' ele tem que ler tudo o que está no teleprompter, em seu blog, o jornalista diz aquilo o que pensa.  #Rede Record