A polícia do Rio Janeiro cumpriu mandato no último dia 29 de setembro, que culminou na desocupação de várias unidades de apartamentos no conjunto Haroldo de Andrade, pertencente ao programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, do #Governo Federal. O condomínio está localizado no bairro Barros Filho, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Contudo, ainda restam unidades a serem desocupadas, salientando que os policiais deram início às ações munidos de mandados de reintegração de posse. No começo de agosto, alguns moradores queixaram-se, por meio de denúncias, que traficantes vinham ocupando o local e vendendo drogas dentro dos apartamentos invadidos.

Publicidade
Publicidade

Porém, apesar da ordem judicial, durante a desocupação, houve troca de tiros e uma pessoa ficou ferida. Como se não bastasse, alguns estabelecimentos ao redor do condomínio, tais como escolas e creches, ainda ficaram fechadas nessa data, por medida de segurança.

O condomínio do 'Minha Casa, Minha Vida' é composto por 1260 unidades, de 45 metros quadrados cada, destinadas a famílias com renda mensal de até R$ 1.600,00, que antes residiam em áreas de risco, e com o programa almejam uma melhora das condições de moradia e vida, de forma geral.

Invasões seriam o motivo das desapropriações

Com as consequentes invasões que os apartamentos do programa 'Minha Casa, Minha Vida' vem sofrendo, o governo mudou a estratégia de instalação dos empreendimentos, ao menos no estado do Rio de Janeiro, sendo que agora um aprofundado estudo precisa ser realizado na área em que se pretende alocar a obra, verificado, inclusive, as chances de invasão, além disso, levar-se-á em consideração se há na área delegacias e policiamento efetivo.

Publicidade

De acordo com a portaria n° 469/15, do Ministério das Cidades, as famílias que não receberam seus apartamentos porque estes foram invadidos, serão chamadas pela Caixa Econômica Federal para que rescindam o contrato atual, e também para a escolha de outras unidades, sendo assim, apesar do tempo perdido, ninguém restará prejudicado pela ação dos vândalos invasores. #Justiça #Blasting News Brasil