Um dos maiores desastres ambientais ocorridos no Brasil com o rompimento de uma barragem em Mariana (MG), no último dia 5, e que se alastrou até o litoral do Espírito Santo, continha lama da maior mineradora do Brasil, a Vale.

Utilizando-se do seu poder de acionista (junto com a anglo-australiana BHP Billiton) da empresa que era responsável pela barragem, a Samarco, a Vale aproveitava para despejar também seus rejeitos de minério de ferro trazidos de outras partes da região, onde a mesma tem mineradoras, para a barragem de Fundão em Mariana.

Os rejeitos de minério de ferro trazidos pela Vale para a barragem de Fundão eram justamente de uma mina que integra um complexo da mineradora, chamada "alegria", localizada a cerca de 25 km do distrito de Bento Rodrigues, lugar que ficou completamente encoberto pelo mar de lama.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a Folha, a Vale afirma que tinha um contrato com a Samarco que lhe dava o direito de depositar sua lama na barragem e que só correspondia a 5% do montante depositado na barragem de Fundão. A Vale até o momento não assumiu nenhum ônus ocasionado pela tragédia.

Não se ver nem citação sobre os rejeitos que ela depositava na barragem em pronunciamentos feitos pela empresa através de seus diretores, apesar de legalmente a responsável seja a Samarco, já que era de sua responsabilidade a gestão e manutenção da área de Fundão.

Ainda não se tem as causas exatas do rompimento da barragem e se a lama que vinha sendo depositada pela Vale estava dentro das normas, só através de uma séria investigação se poderá saber.

Trata-se de uma catástrofe que jamais será esquecida, ocasionada pelo rompimento de uma barragem, que prejudicou cidades de Minas Gerais e Espírito Santo, como também uma enorme destruição ambiental, com a vasão de cerca de 40 bilhões de litros de lama com rejeito de minério de ferro e que fez com que outra barragem, a Santarém, que fica logo abaixo, também se rompesse e transbordasse, deixando pelo menos 8 mortos, 11 desaparecidos e quatro corpos que ainda não foram identificados.

Publicidade

#Natureza #Crime #É Manchete!