Foi anunciado oficialmente o lançamento do projecto do primeiro super-trem brasileiro. Com o objetivo de estimular o #Turismo interestadual, a previsão que com sua circulação já no primeiro semestre do próximo ano, deva contemplar entre outros detalhes feiras móveis dentro dos "restaurantes-vagões" e de passageiros, com a possibilidade de circularem por cidades interioranas dos Estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais. 

Para diversos segmentos da política e empresarial desses Estados, a união de voluntários e autoridades para o projeto executivo do "Expresso Trem da Terra", nome escolhido para a novidade, é essencial. Segundo matéria publicada nesta semana pelo site O Dia/Rio, cerca de 8 prefeituras desses estados já se reuniram com líderes do Governos Estadual e Associações de Preservação Ferroviária, (ANTT) e DNIT, para discutirem e agilizarem o processo do projeto técnico já protocolado junto ao Ministério dos Transportes, comentou o idealizador do projeto Paulo Henrique Nascimento.

Publicidade
Publicidade

Origem e andamento do projeto

O Departamento Nacional de Infraestrutura (DNIT), disponibizou equipamentos para serem restaurados em parceria com a iniciativa privada. Segundo o artigo, esses materiais estavam sem uso há décadas, oriundos da Fábrica Santa Matilde. Sendo que um dos vagões fazia parte da história do notório Trem de Prata desativado em 1998, que por conta da iniciativa inovadora entre empresários e a Oscip Trem Amigo, está sendo totalmente restaurado.

Para o idealizador do projeto Paulo Henrique, a circulação do trem de turismo vai abranger as cidades mineiras com Volta Redonda e Paraíba, além do Centro Sul Fluminense, as cidade de Sapucaia, Três Rios, Recreio Leopoldina, Chiador, no Rio de Janeiro, na reutilização do trecho 187, inoperante desde 31 de julho último com a desativação dos carregamentos de bauxita na época.

Publicidade

Demanda de passageiros

Com a reforma de vagões-restaurantes e de passageiros e conforme uma planilha de estudos, acredita-se que cada vagão poderá comportar 60 passageiros, sendo que os valores por viagem em torno de cinco horas poderão custar entre R$ 40 e R$50. Para o prefeito de Três Rios, cidade que ter seu trecho turístico na linha do novo "super-trem", o projeto interligará os estados do Rio e Minas, promovendo o desenvolvimento social e econômico dessas regiões, já que terá uma feira móvel de produtos típicos, como de culinária e artesanato, além de preservar o patrimônio público ferroviário, comenta Vinicius Farah. #Curiosidades