Dentre os brasileiros que mais sofrem com a crise econômica que assola o país em 2015, estão aqueles que não vivem em imóveis próprios e precisam pagar aluguel. Com a elevação dos preços em diversos segmentos, como, por exemplo, cesta básica, transporte público, energia, água e condomínio, telefone, internet, dentre outros setores, o custo de vida da população está cada vez mais caro no Brasil, o que faz com que os inquilinos se “apertem” bastante para manterem os aluguéis.

Giovanna Britto, 34 anos, é esteticista e dona de um salão de beleza em Salvador. Para ela, está muito difícil se manter no apartamento, que já vive há quatro anos, por conta do constante aumento do custo de vida na capital baiana.

Publicidade
Publicidade

“Está tudo muito caro e estou me virando para conseguir viver nesta cidade. Se já não bastasse pagar um aluguel relativamente caro, ainda tem os outros gastos, como condomínio, luz e gasolina, que estão maiores a cada dia. A coisa está feia”, afirma Giovanna.

“Recentemente, o proprietário do apartamento onde moro ainda tentou aumentar o valor, alegando que já não aumentava há dois anos. Tive que discutir muito com ele para evitar o aumento, pois, com esta crise que está aí, eu não sei se conseguirei pagar o que tenho que pagar hoje, imagine se ele aumentar? Sinceramente, já pensei até em entregar tudo e voltar para casa dos meus pais. É Deus quem está me segurando aqui”, conclui a esteticista. #Crise #Crise econômica #Crise no Brasil