A #Justiça deu parecer favorável a um funcionário demitido pela TV Bandeirantes em abril deste ano. Na época, a empresa de comunicação demitiu dezenas de pessoas em diversas regiões do país. Um dos estados mais afetados foi o Rio de Janeiro. Na região, até um profissional que estava de licença porque fazia um tratamento com câncer foi demitido. Porém, o Tribunal de Justiça do Rio obrigou a Band a recontratar o funcionário licenciado. 

De acordo com informações do site 'Natelinha', Maurício Verfe Foutoura voltou a trabalhar nesta segunda-feira, 23. Maurício entrou com um processo contra a empresa em que trabalha assim que ficou sabendo de seu desligamento.

Publicidade
Publicidade

O fato de estar de licença faz com que ele não possa ser demitido, até porque sequer a empresa estava pagando o salário dele neste momento. Nesses casos, o INSS é que passa a efetuar os pagamentos. O Tribunal de Justiça do Rio também entendeu que a demissão foi ilegal. 

Em uma página na internet, Maurício comemorou o fato de poder voltar a trabalhar, agora já tendo passado pelo tratamento contra a enfermidade que o fez ficar de licença. "O bom filho à casa torna!", escreveu ele. 

A decisão também foi comemorada pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro. A presidente da entidade, Paula Mairan, destacou que o Tribunal do Rio fez com que o processo se tornasse justo. Paula ainda disse que a demissão de um funcionário de licença para tratar uma doença envergonhou toda a classe de jornalistas da cidade. 

Mairan disse que a demissão foi covarde e que poucas vezes na história da categoria no Rio de Janeiro um ato como esse foi visto.

Publicidade

A presidente do Sindicato dos Jornalistas ainda disse que a vitória não é só do funcionário que se reintegrou à TV Bandeirantes, mas sim de todos os profissionais da área. 

Em abril deste ano, a empresa de Jhonny Saad demitiu mais de cem de seus profissionais. Algumas produções passaram a ser terceirizadas. Até mesmo funcionários com mais de uma década de trabalho perderam seus postos.  #Crime