Uma criança de apenas 11 anos foi levada para o hospital geral de Feijó, cidade a 360 km de Rio Branco (AC). O motivo: uma surra que levou de seu pai.

A criança foi atendida pelo médico de plantão. Ela apresentava marcas nas costas, o rosto machucado e um dedo fraturado. O médico acionou a polícia e juntamente com o Conselho Tutelar, eles foram até o hospital e constataram a agressão. O pai da jovem que a acompanhava no hospital, foi detido ali mesmo e levado para a delegacia.

O delegado que cuida do caso, Samuel Mendes, relatou que o pai de 54 anos, disse em depoimento que bateu de corda na filha para “educá-la. ” O homem disse que a filha tinha o hábito de sair de casa sem dar satisfações para onde ia, com quem estava e onde tinha ido.

Publicidade
Publicidade

O pai, que tem um comércio de frutas e verduras, alega ainda que notou que faltava um dinheiro que ele havia reservado no caixa. Ele alega que a única pessoa que tinha acesso ao caixa era a filha, e que não tem dúvidas de que ela que o furtou.

Interrogada, a jovem confirmou que realmente saía de casa sem dar satisfações, mas nega que tenha furtado o dinheiro. Ela ainda afirma que essa não é a primeira vez que sofre esse tipo de agressão por parte do pai. Os vizinhos sempre ouvem, mas nunca tiveram coragem de denunciar.

Após os depoimentos, o pai da jovem foi liberado e responderá um processo por maus-tratos. A jovem, foi submetida a exames de corpo de delito. Após o exame, ela foi entregue para o Conselho Tutelar. O conselheiro responsável pelo caso, Ronaldo Nascimento, disse que a jovem foi levada para a casa da mãe.

Publicidade

Agora ela será acompanhada por uma assistente social e também passará por tratamentos psicológicos para que amenize o trauma e medo do pai. 

Recentemente, foi aprovado na câmara uma alteração na lei que prevê punição por crimes de maus-tratos. De acordo com o artigo 13 do ECA (Estatuto da criança e do adolescente), a pena por maus-tratos a crianças, adolescentes, idosos e pessoas incapazes de se defenderem, pode chegar a cinco anos de prisão. 

Na sua opinião, o pai deve ou não deve ser condenado? Deixe seu comentário. #Crime #Casos de polícia