Infelizmente a noite de sábado (28) terminou de maneira trágica para cinco amigos que tinham saído juntos para se divertir. De acordo com o portal de notícias G1, os cinco jovens foram mortos no interior do carro, os PMs foram presos acusados de homicídio e fraude processual.

Saibam como aconteceu o crime

Conforme as investigações da 39º DP - Pavuna, os cinco rapazes com idade entre dezesseis e vinte anos, voltavam do Parque de Madureira que fica na Zona Norte do Rio de Janeiro. As vítimas eram amigos de infância e foram identificados como: Roberto de Souza, 16 anos, Carlos Eduardo da Silva Souza, 16, Cleiton Corrêa de Souza, 18, Wesley Castro, 20 e Wilton Esteves Domingos Junior, 20 anos.

Publicidade
Publicidade

De acordo com relatos dos familiares das vítimas, eles tinham chegado do Parque por volta das 23 horas e iam fazer um lanche, quando foram abordados pelos PMs, e ao que tudo indica, covardemente assassinados.

Fuzilamento

Quando os jovens seguiam para a comunidade de Costa Barros, o carro onde estavam, na altura da "curva do vinte", na estrada João Paulo no Subúrbio do Rio, foi alvejado com inúmeros disparos. Os policiais militares são acusados de homicídio e de alterar a cena do crime. Luvas ensanguentadas e uma arma foram encontrados ao lado do carro, entretanto a chave do veículo foi achada no porta malas do mesmo.

Nota da Polícia Militar 

A Polícia Militar por meio de nota oficial, informou que os quatro agentes que estavam conduzindo a operação estão presos. De acordo com a Polícia Civil, três dos envolvidos vão responder por homicídio doloso e fraude processual, um dos acusados somente por fraude processual. O caso continua sendo investigado.

Publicidade

Familiares e amigos estão chocados e revoltados

O pai de Carlos Eduardo, disse que o filho tinha terminado o curso de petróleo e gás e se preparava para prestar concurso para Marinha. Segundo Carlos Henrique, que é taxista, "seu filho e os amigos chegaram a colocar os braços para fora do carro e gritaram em alto e bom som que eram moradores da região, mas mesmo assim, foram executados".

O padrasto de Cleiton, Jorge Vieira, 61 anos,  disse que os rapazes foram assassinados de maneira covarde, "eles não deram chance dos nossos filhos se identificarem ou se defenderem". De acordo com Jorge, a mãe do jovem está em estado de choque. A maioria dos ferimentos a bala foi na região da cabeça dos jovens.

Amigos e familiares não conseguem entender o porque de tamanha brutalidade e covardia. Todos se mostram muito abalados, pois os jovens eram muito queridos na região onde moravam. Todos clamam por justiça.

Sepultamento

As famílias querem fazer o velório e o sepultamento dos cinco jovens juntos. Já que durante toda a vida eles foram amigos inseparáveis. #É Manchete! #Investigação Criminal #Casos de polícia