Um dos episódios mais lastimáveis deste 2015 envolveu comentários pedófilos sobre uma atração televisiva, o 'MasterChef Júnior', da TV Bandeirantes. Logo na estreia do programa infantil, internautas usaram as redes sociais para fazer comentários com conotação sexual que envolviam as crianças da atração. Uma das maiores vítimas foi uma menina de doze anos. O nome dela não será escrito a pedido dos pais, assim como nenhuma imagem dos participantes será publicada nesta matéria. O primeiro passo da investigação já foi dado. De acordo com informações da polícia civil em um comunicado enviado à imprensa nesta quinta-feira, 12, os responsáveis pelos comentários contra essa menina de doze anos já foram identificados.

Publicidade
Publicidade

A identificação aconteceu depois de muita investigação, feita pelo Departamento contra os crimes virtuais da polícia civil. Os profissionais da segurança agora vão começar a ouvir os acusados, para que eles possam explicar o que os motivou a tomar tal atitude na internet. Em seguida, eles receberão um indiciamento por pedofilia. O comunicado diz que esses criminosos não serão presos em um primeiro momento, mas que eles responderão a um processo criminal, que a princípio seguirá para o Ministério Público de São Paulo. 

Além da pedofilia, o crime de homofobia

Além do caso da menina mencionada, um menino também sofreu declarações homofóbicas na internet. Grupos que lutam pelo direito dos homossexuais repudiaram os comentários feitos nas redes sociais. A família do menino também pediu que o nome dele não seja identificado e que já está tomando as medidas cabíveis necessárias.

Publicidade

Parceria entre Facebook e polícia

No caso das atitudes pedófilas, o grupo Bandeirantes lamentou os episódios. De acordo com a família da vítima, o Facebook (nos Estados Unidos) trabalhou em parceria com a polícia brasileira. Uma página com fotos ousadas da garota, fazendo incitações à pedofilia, também foi retirada do ar. A empresa também disse que apagaria comentários e até perfis que continuassem a cometer o #Crime#Investigação Criminal