O guitarrista Chimbinha falou pela primeira vez neste domingo, primeiro de novembro, sobre uma séria acusação, a de ter abusado sexualmente a filha de sua ex-esposa (Joelma), Natália Mendes Sarraf. O abuso teria acontecido quando a garota ainda entrava na adolescência. Em entrevista ao jornalista Geraldo Luís, o músico disse que pretende processar Natália pela acusação. 

Abusar ou praticar atividades sexuais com menores de 16 anos no Brasil é considerado #Crime de pedofilia. Acima desta idade, a lei trata como coação de menor, mas as relações íntimas não são tratadas como estupro, caso o menor tenha consentido a relação.

Publicidade
Publicidade

Chimbinha disse que é muito complicado comentar a acusação da enteada. Ele disse achar estranho isso ter surgido tantos anos depois do suposto fato. O guitarrista revelou que antes da briga dele com Joelma, Natália o chamava de pai e que eles tinham uma boa relação.

O profissional da #Música, que neste ano chegou a ser proibido de ver os filhos e ficar a cem metros de Joelma, entrará em mais uma batalha judicial. Ele disse que colocou o caso sob responsabilidade de seus advogados. "Terão que provar a verdade", falou incisivo o famoso, que durante mais de uma década compôs ao lado de sua ex-esposa, a Calypso, maior banda independente do país.

O caso foi exposto na última terça-feira, 27, quando Natália teve uma conversa com uma amiga divulgada através de um aplicativo de celular. A filha de Joelma escreveu que se sentiu apalpada ao acordar durante a noite.

Publicidade

E que teria sido Chimbinha a lhe tocar. 

A jovem que também tenta trilhar o caminho de cantora revelou que o fato aconteceu quando ela tinha mais ou menos 12 anos. Também na conversa com a amiga, ela escreveu que o suposto abuso foi realizado durante as férias que costumava passar com o padrasto e Joelma Em entrevista ao UOL, Natália confirmou a veracidade das informações, mas preferiu não dar mais detalhes sobre o que ela escreveu na rede social.

Chimbinha não passou informações sobre em que tribunal pretende entrar com uma ação processual sobre o suposto falso testemunho de sua enteada.