O verão começou oficialmente no hemisfério sul na madrugada desta terça-feira, dia 22 de dezembro, e com ele se iniciou também, a chamada alta temporada para o #Turismo no Brasil. No entanto, bem diferente de anos anteriores, para essa estação os empresários vão ter que se adaptar a nova realidade do brasileiro, que vive uma das maiores crises econômicas da história do país.

Para manter a movimentação de pessoas, e não verem os lucros “desabarem”, as empresas que estão ligadas ao turismo, e que sempre lucraram bastante com a chegada do verão, agora já começaram a criar megapromoções para tentar encorajar o brasileiro a viajar e realizar gastos acessíveis e válidos nesta época de crise.

Publicidade
Publicidade

De acordo com estimativas da ABAV (Associação Brasileira de Agências de #Viagem), as promoções em plena época de alta temporada devem contribuir para manter hotéis e pousadas lotados, além de manter também uma intensa movimentação nos aeroportos das grandes cidades brasileiras.

Segundo a Associação, devido às megapromoções, o mercado doméstico deve contar com um aumento de, aproximadamente, 10% no número de turistas circulando, sobretudo, entre os meses de dezembro de 2015 e fevereiro de 2016, até, pelo menos, o fim do Carnaval.

Alta do dólar

O dólar se manteve em alta durante quase todo o ano de 2015, o que elevou a inflação e, com isso, diminuiu o poder de compra e gastos da maioria dos brasileiros. Contudo, para a turismóloga Andressa Albuquerque, a alta do dólar pode deixar de ser um “vilão” nesta alta temporada e contribuir para um melhor fluxo interno de turistas.

Publicidade

“Como o dólar está muito caro, os brasileiros estão desmotivados a realizarem viagens internacionais, que estava em plena linha de crescimento, se verificado os últimos anos. Com a crise econômica que tomou o Brasil em 2015, a melhor opção para o brasileiro, que não quer abrir mão de viajar neste verão, vai ser mesmo circular dentro do país e aproveitar as promoções. Ou seja, o dólar em alta inibe o brasileiro de sair para o exterior, e este deve gastar o que tem por aqui mesmo, ajudando a movimentar a economia local, que está enfraquecida”, afirma Andressa.

“Além disso, o brasileiro tem já consultado preços de hotéis e pousadas, além de pacotes de voos, e tem optado por locais não muito longe de casa. Por exemplo, têm muita gente em Salvador fechando pacote promocional para Porto Seguro, que também fica na Bahia, assim como têm muita gente em Porto Alegre fechando pacote para Balneário Camboriú, que fica na mesma região Sul. Isso faz com que o capital se circule por todas as regiões e não se concentre apenas em uma forte região turística, como geralmente ocorre.

Publicidade

Vejo isso como positivo para o país”, conclui a turismóloga.

Voos fretados

Um setor que foi bastante prejudicado pela #Crise econômica no Brasil foi o da aviação. Para superar a crise, os voos estão sendo realizados pelas empresas aéreas acima da capacidade estipulada e quase sempre com promoções.

Neste verão, como forma de lucrar e sanar os baixos rendimentos adquiridos em todo o ano, a maior agência brasileira de viagem, CVC, vai realizar em torno de 1.000,00 (mil) voos fretados, oriundos de megapromoções, a partir do primeiro dia do ano de 2016 até o final do Carnaval, em meados do mês de fevereiro.

“As megapromoções vão reduzir os rendimentos dos empresários, em comparação com o que estes lucraram nos últimos anos, mas, avaliando o atual cenário de crise, esta é a melhor opção de lucrar, ao menos, algo satisfatório, pois, se os altos preços fossem mantidos, este seria um verão catastrófico para o setor do turismo no Brasil”, garante a turismóloga Andressa Albuquerque.