Com o aumento dos casos de microcefalia no Brasil nas regiões do nordeste: (Pernambuco), São Paulo, Paraíba, Rio Grande do Norte e também em Minas-Gerais, a população se preocupa, principalmente as mulheres grávidas.

As gestantes com medo de contraírem a doença estão usando repelentes como proteção ao mosquito Aedes aegypt (transmissor).

De acordo com informações do infectologista brasiliense, Dr. Edwin Antônio Solorzano Castillo, não é recomendável que se use todo e qualquer tipo de repelentes, pois cada produto tem o seu período de ação. É preciso que as pessoas se orientem com o médico.

O Dr. Castillo alertou sobre a precaução que todos devem ter ao usar o repelente, para que não ocorram outros tipos de problemas relacionados à saúde, como alergias, pois o uso indevido gera complicações.

Publicidade
Publicidade

As grávidas, de acordo com o médico, devem consultar um especialista para que ele possa indicar o tipo de repelente a ser usado. O mesmo poderá fazer o acompanhamento do pré-natal, onde a gestante receberá todas as instruções necessárias sobre os riscos da doença (microcefalia) nos bebês, além da prevenção através de exames.

ORIENTAÇÕES MÉDICAS

O Dr. Edwin orienta para que não se use o produto em crianças com menos de dois anos. Somente o pediatra poderá receitar o repelente adequado. Ele recomenda que não se use o produto em excesso, e que sempre é preciso ler a bula antes de usar.

QUAIS OS REPELENTES RECOMENDADOS?

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) informa que os repelentes aprovados possuem três princípios ativos para serem vendidos no Brasil:

1º princípio - Repelente a base de Ethyl butulacetylaminopropionate (ebaaf), seguro para as gestantes e indicado para crianças de 6 meses a 2 anos (com autorização pediátrica).

Publicidade

A loção antimosquito Jonhnson´s, além de outros produtos que contenham o princípio ativo, é de curta duração e deve ser aplicada de duas em duas horas.

2º princípio - (DEET) - Dietiltoluamida, considerado seguro para gestantes. Só pode ser usado em crianças acima de 2 anos até os 12 anos (usar só 10% do produto). Os especialistas recomendam usar três vezes ao dia. Em adultos, pode ser usado 15%.

3º princípio - ICARIDIM, tem longa duração e é a base de dietiltoluanda. O produto EXPOSIS são os mais procurados pelos adultos e gestantes, com duração de 10 horas. Crianças a partir de 2 anos podem usar.

Através da prevenção e de acompanhamento médico, as gestantes estarão mais protegidas e cabe ao Governo tomar medidas eficazes no combate ao mosquito transmissor do zika-vírus. #Dicas #Medicina #Dengue