O verão chegou ao Brasil, mas não trouxe com ele muito entusiasmo para o setor turístico do país. Para conseguir obter algum lucro com o início da alta temporada, empresas e empresários terão que se adaptar ao momento de #Crise econômica que vive o brasileiro, e é exatamente isso que empresas de cruzeiros já estão fazendo.

Para a atual temporada de verão, os roteiros dos cruzeiros serão reduzidos para uma espécie de “mini cruzeiros”, em cerca de 50% de toda a frota de navios. Tais roteiros serão mais baratos, mas também bem mais curtos do que os realizados nos últimos anos.

Para Eduardo Salles, 26 anos, bartender temporário em uma grande empresa de cruzeiros que atua na costa brasileira, o movimento neste mês de dezembro já começou fraco em comparação ao mesmo mês em anos anteriores.

Publicidade
Publicidade

“Dá para notar claramente que o movimento caiu. Esta é a minha terceira temporada atuando como bartender neste #Cruzeiro e, de fato, pela primeira vez percebo uma queda no número de pessoas no navio. A crise está muito forte, e acredito que até mesmo quem tem dinheiro para fazer este tipo de #Viagem está segurando mais um pouco antes de fechar os pacotes. O roteiro está mais curto, já que a clientela diminuiu. Espero que as coisas melhorem até fevereiro”, torce Eduardo.

Para a turismóloga Andressa Albuquerque, a queda com relação aos cruzeiros é compreensível por este se tratar de um setor ainda recente no Brasil.

“Quando a crise ‘estoura’, a tendência é que setores mais recentes do turismo sejam os mais afetados por ainda não terem uma tradição consolidada com os turistas. No caso dos cruzeiros, ainda é uma atração nova para os brasileiros, que, sem dinheiro para apostar no novo, prefere, e como razão, continuar investindo no que já está acostumado a fazer todos os anos.

Publicidade

Por isso as cidades praianas devem continuar sendo as mais visitadas neste verão”, explica Andressa.