O ex-presidente Lula da Silva voltou a causar polêmica. Dessa vez em Portugal, onde as suas declarações sobre os atrasos da #Educação do Brasil não foram bem recebidas. #Lula afirmou em uma conferência em Madrid que os portugueses, enquanto antigos colonizadores, são os principais responsáveis pelos atrasos na educação brasileira, já que, na sua opinião, não investiram na construção e implementação de sistemas avançados de ensino.

Lula foi ainda mais longe e, na cimeira Ibérica, fez uma comparação entre a colonização portuguesa e a espanhola. “Eu sei que isto não agrada os portugueses, mas Cristóvão Colombo chegou a Santo Domingo em 1492, e em 1507 já tinha sido criada uma universidade lá”.

Publicidade
Publicidade

O ex-presidente continuou a sua declaração, afirmando ainda que no Peru foi criada uma universidade em 1550 e na Bolívia em 1624, enquanto a primeira universidade brasileira nasceu apenas em 1922.

Essas declarações causaram de imediato um impacto negativo em Portugal, tanto nas redes sociais como nos órgãos de comunicação do país. O portal Observador ironizou com o título “Brasileiro burro? A culpa é do Álvares Cabral, diz Lula”. Já o Diário de Notícias, o jornal mais antigo do país, fez igualmente a mesma pergunta substituindo Álvares Cabral por “portugueses”. Por sua vez, um colunista do semanário econômico Oje foi muito crítico com Lula da Silva, dizendo que não é correto culpar os portugueses pelo atraso no sistema educativo brasileiro, uma vez que essa colonização terminou há quase 200 anos.

Publicidade

A BBC Brasil quis saber de quem é a culpa, afinal. Falaram com o professor de História Luiz Carlos Villalta, que disse discordar de Lula, uma vez que, na opinião dele, os problemas do sistema de ensino do Brasil não podem ser apenas atribuídos aos colonizadores.

Segundo o historiador, depois de o Brasil se ter tornado independente em 1822, o governo imperial não criou universidades em 77 anos no poder. Para Luiz Villalta, essa responsabilidade deve ser atribuída às elites agrárias, mas também aos erros e falta de planejamento dos vários governos brasileiros.

Outra historiadora, Ana Paula Torres Megiani, foi um pouco mais longe e, depois de analisar as palavras de Lula, disse que responsabilizar os portugueses por problemas do Brasil não é uma coisa nova, mas sim uma prática recorrente dos políticos brasileiros desde o final da colonização.

E você o que acha? Quem deve ser responsabilizado pelos atrasos do sistema educativo brasileiro? Escreva a sua opinião nos comentários e discuta esse tema polêmico com os seus amigos!