O jornalista Guilherme Belarmino recebeu ameaças de morte e ataques racistas na internet após realizar uma reportagem considerada polêmica. Nesta terça-feira, 15, o 'Profissão Repórter', da Globo, mostrou como vivem as feministas em pleno século XXI e sobre por quais problemas elas lutam para trabalhar a inclusão da mulher na sociedade e acabar também com qualquer tipo de descriminação. De acordo com o próprio profissional da mídia, ele começou a receber as ameaças ao iniciar o trabalho de apuração do material. 

No Tweet abaixo, Guilherme promete levar o caso à justiça, dizendo que apenas dessa forma, os negros conseguiram lutar pela igualdade na sociedade. 

O principal agressor do repórter é Marcelo Mello.

Publicidade
Publicidade

O homem foi mostrado na reportagem, como tendo agredido uma blogueira, Lola Aronovich, que usa a internet para lutar pelas mulheres. O acusado chegou a ser preso em 2012. Um ano depois ele foi condenado por ataques racistas. O caso teve grande repercussão e a prisão aconteceu por meio da Polícia Federal de Curitiba, que desencadeou a operação 'Intolerância'. 

O jornalista da Globo fez imagens de Marcelo Mello agredindo uma equipe da emissora. Após a agressão, Marcelo Mello está usando as redes sociais para se manifestar contra o repórter, especialmente através de manifestações agressivas. Entre os termos utilizados contra ele estão dar "muita porrada" e "desovar esses tipos", insinuando assim que poderia matar a equipe de jornalistas do canal. 

Depois da repercussão da mídia, o agressor bloqueou suas mensagens na internet.

Publicidade

Mas ele havia escrito frases do tido. "Eu daria muito porrada mesmo (SIC)" e marcado o jornalista ameaçado. Em outro post, Marcelo lembra que ficou preso e diz que policiais militares "desovariam" pessoas negras. "É só desovar que não dá nada", continua. 

O jornalista recebeu muitas mensagens de carinho de colegas. Ele lembrou que assim como ele, outros profissionais negros estão ganhando o noticiário pelo seu bom trabalho, como a jornalista Maria Júlia Coutinho.

#Crime #Investigação Criminal