Morreu nesta segunda-feira, 21, o músico gaúcho Flávio Basso. O profissional da música é considerado um ícone da cultura popular de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Por já, Flávio fcou conhecido pelo apelido de 'Júpiter Maçã'. Ele tinha 47 anos e morreu, segundo informações do baixista Lucas Hanke, após bater com a cabeça em um acidente doméstico. A confirmação foi dada pelo baixista em uma conversa com o UOL. Lucas acompanhava 'Júpiter' em suas apresentações em Porto Alegre. 

Lucas revelou que conversou com os pais do músico, que contaram que 'Júpiter' bateu com a cabeça no banheiro da casa da família. Ele chegou a ser levado para a emergência, mas acabou falecendo.

Publicidade
Publicidade

Flávio Basso passava por um tratamento para curar uma cirrose. Ele também tinha problemas com o uso de drogas. 

Não há informações sobre quando será realizado o funeral, nem onde acontecerá o enterro do artista. De acordo com o UOL, 'Júpiter Maçã' não apareceria para gravar há cerca de um mês. O músico tinha um show no próximo domingo, 27. O profissional da música chegou a ter a honra de se apresentar no maior festival de rock do país, o 'Rock in Rio', realizado na 'cidade maravilhosa' em 2011. Em maio deste ano, ele já havia tocado na virada Cultural de São Paulo.

'Júpiter Maçã' ficou conhecido por ser um cara "sem noção". Ele também tinha problemas com o álcool, mas tentava retornar aos poucos aos shows. Em 2012, ele chegou a ter uma queda do segundo andar de seu prédio. Na época, o músico quebrou a costela e o punho.

Publicidade

O último trabalho do músico foi no ano de 2014. Nessa época, ele lançou o DVD ao vivo 'Six Colours Frenesi'. Apesar de não ser conhecido do grande público, o apelido do artista popular de Porto Alegre ficou entre os temas mais comentados do Twitter. Muitos seguidores do microblog de 140 caracteres se mostraram surpresos e desolados com a notícia.

O profissional também fez muitos shows, nos quais fez críticas ao governo e também xingou alguns palavrões. Alguns deles podem ser encontrados no Youtube.  #É Manchete!