Hoje, sábado, 5 de dezembro, faz exatamente um mês da tragédia em Mariana (MG) com o rompimento da barragem de Fundão, que pertencia a mineradora Samarco, causando um tsunami de lama tóxica que devastou tudo que encontrou pela frente.

Foram identificados mais três corpos, chegando assim ao número de quinze mortos, informação dada pela Polícia Civil na tarde desse sábado (5), na tragédia de Mariana. Os corpos que se encontravam no Instituto Médico Legal (IML) de Belo Horizonte já foram todos identificados, mas se encontra ainda quatro desaparecidos.

Corpos idenficados

O corpo de Pedro Paulino Lopes, que trabalhava como mecânico industrial na Manserv há cinco anos, foi um dos identificados.

Publicidade
Publicidade

Deixou esposa e três filhos. Era morador de Santa Bárbara e todos os dias ia para o trabalho na mineradora Samarco.

Claudemir Elias dos Santos era funcionário da Integral Engenharia, deixou mulher e um filho. Faria dez anos de casamento no dia 11 desse mês, era morador de Santa Rita Durão.

E Maria das Graças Celestino Silva, moradora da parte mais baixa de Bento Rodrigues, que ao tentar escapar caiu e foi arrastada pelo mar de lama. Já não há mais corpos na espera de identificação, mas fica faltando um morador de Mariana e três trabalhadores da mineradora que ainda se encontram desaparecidos.

Após um mês do maior desastre ambiental da história do Brasil, a mineradora Samarco ainda não explicou as causas que levaram ao rompimento da barragem de Fundão, pertencente a Vale e a anglo-australiana BHP Billiton.

Publicidade

O rompimento da barragem de Fundão, ocorrido no dia 5 de novembro, devastando com um mar de lama de rejeito de minério de ferro, o distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, causando danos também em Águas Claras, Ponte do Gama, Paracatu, Pedras, Barra Longa e Rio Doce. Tendo atingido também dezenas de cidades na Região Leste de Minas Gerais, chegando até o litoral do Espírito Santo. Não se sabe ao certo o tamanho do prejuízo sofrido pela #Natureza e nem quando e como isso poderá ser revertido. #Crise #Investigação Criminal