A operação "Vidas Secas - Sinhá Vitória" foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (11) pela Polícia Federal, na tentativa de prender vários suspeitos de estarem envolvidos em um esquema que superfaturou as obras realizadas para a transposição do Rio São Francisco, para levar água a várias famílias.

Os empresários do consórcio responsável pelas obras conseguiram desviar mais de R$ 200 milhões das verbas públicas, que tinham como destino as obras no São Francisco. Para isto, eles utilizaram várias empresas de fachada. As obras estavam sendo realizadas no trecho que vai de Pernambuco à Paraíba, e este consórcio, que está sendo investigado pela Polícia Federal, era responsável por dois lotes nesta transposição.

Publicidade
Publicidade

A Polícia Federal já descobriu que várias empresas de fachada desta organização criminosa estão ligadas ao doleiro Alberto Youssef e também ao lobista Adir Assad, sendo que ambos já estão sendo investigados em outra operação, a #Lava Jato.

Mais de 30 mandatos judiciais serão cumpridos em vários estados, entre eles, o de Pernambuco, Mato Grosso, São Paulo, Rio de Janeiro, entre outros. A Polícia Federal também encontra-se com quatro mandados de prisão para o Rio de Janeiro, Goiás, São Paulo e Distrito Federal, além de 24 mandados de busca e apreensão.

Todos os investigados na operação "Vidas Secas - Sinhá Vitória" irão responder por crime de associação criminosa, lavagem de dinheiro e também por fraude na execução de contratos com o Governo. A PF tem expectativa de que muita coisa ainda será revelada, à medida que as investigações avançarem e os envolvidos forem presos.

Publicidade

TRANSPOSIÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO

O projeto para transposição do Rio São Francisco foi orçado em mais de R$ 8 bilhões e sua meta é garantir que 390 cidades tenham água nos estados da Paraíba, Ceará, Pernambuco e no Rio Grande do Norte. Serão mais de 12 milhões de brasileiros beneficiados.

Esta transposição começou em 2006 e, naquela época, o orçamento era de R$ 4,5 bilhões. Mais de 10 mil trabalhadores estão envolvidos atualmente no empreendimento. #Natureza #Casos de polícia