Foi encontrado nesta terça-feira (1) o corpo de um homem baleado e com sinais de espancamento dentro do porta malas de um carro em Brasília. De acordo com as apurações feitas pelo portal de notícias G1 junto a Polícia Civil de Brasília o corpo é do "Don Juan" que havia sido preso há meses atrás por dar golpes em socialites da cidade.

Saibam mais sobre a morte de "Don Ruan"

Antônio Carlos Guimarães, conhecido como "Don Juan", levava uma vida de ostentação e luxo. De acordo com as investigações da polícia, ele teria dado golpes em pelo menos oito mulheres da alta sociedade brasiliense e embolsado mais de 300 mil reais.

O corpo foi encontrado no porta malas do carro por vigilantes do condomínio Novo Horizonte, que fica próximo ao Paranoá.

Publicidade
Publicidade

De acordo com os mesmos o porta malas estava aberto, eles acionaram um bombeiro que mora no condomínio, para prestar os primeiros socorros. O bombeiro constatou que Antônio Carlos tinha marcas de tiros na perna esquerda e pancadas na cabeça.

Como a vítima ainda apresentava sinais vitais o sargento do Corpo de Bombeiros acionou o apoio dos colegas e tentou reanimá-lo por 40 minutos, mas foi em vão.

Como "Don Juan" agia

Antônio Carlos usava as redes sociais para ostentar uma vida de luxo fantasiosa. Ele postava fotos em carros importados, de mansões de dizia ser dele, inclusive em Miami e em restaurantes de luxo, era assim que ele conseguia os contatos para cometer seus crimes.

Uma das suas contas em uma rede social ele tinha mais 550 mulheres com uma vida financeira bastante confortável, em sua maioria com mais de 50 anos, viúvas e divorciadas e casadas

Ele seduzia as mulheres, todas da alta sociedade e se aproximava delas como se fosse um milionário.

Publicidade

Quando conseguia a confiança da vítimas, tomava dinheiro emprestado com elas e muitas vezes de posse dos dados pessoais, conseguia fazer empréstimos e compras em nome destas mulheres.

A polícia acredita que Antônio Carlos conseguiu dar o golpe de estelionato em muitas outras vítimas, porém a maioria não tem coragem de apresentar denúncia, por se sentirem envergonhadas de terem sido vítimas de um golpista. A polícia afirma que muitas destas mulheres mantinham um caso extra-conjugal com o criminoso e por isso não tinham como denunciar o mesmo.

As investigações sobre o caso continuam em aberto, de acordo com polícia, " Don Juan" certamente deve ter dado golpes em outros estados. #É Manchete! #Investigação Criminal #Casos de polícia