Foi deflagrada ontem (10/12), em São Paulo, capital, pela Polícia Federal (por meio de representação da Interpol), a operação denominada "Operação Xangai", uma arremetida na busca por foragidos internacionais estabelecidos no Brasil, onde prenderam seis procurados da Justiça Chinesa, escondidos na capital, São Paulo.

Todos os chineses capturados faziam parte da chamada "lista vermelha" de foragidos da Interpol. As inclusões à esta lista são pedidas por autoridades do país em que respondem a processos ou são procurados, a exemplo, recentemente foi autorizado pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, a inclusão do nome do advogado Edson Ribeiro, que teve prisão preventiva decretada pela Polícia Federal do Brasil, numa destas listas.

Publicidade
Publicidade

Após representação feita pelo Escritório Central da Interpol em Brasília, a Polícia Federal obteve os mandatos de prisão necessários concedidos pelo STF (Supremo Tribunal Federal) para deflagar as prisões.

Segundo informações no site oficial da PF, os foragidos chineses se encontravam estabelecidos no Brasil desde 2013 e cinco deles tinham situação regular e aparentemente tinham ocupações lícitas, estando somente um dos elementos em situação irregular, os mesmos tinham residência fixa na capital, nos bairros da Liberdade e Saúde. A PF investigará a natureza das atividades e a licitude dos respectivos rendimentos dos indivíduos.

Apos a captura, os chineses foram levados encarcerados às dependências da Polícia Federal e permanecerão à disposição do Supremo Tribunal Federal, aguardando a conclusão do processo de extradição para a #China.

Publicidade

O site oficial da PF não dá maiores detalhes sobre os crimes cometidos pelos chineses capturados, mas cita crimes de "estelionato ou crimes financeiros cometidos na China", especula-se que eles têm ligações com a mafia chinesa e estão envolvidos em lavagem de dinheiro.

O site da Agência de Noticias da PF fala em "cinco prisões", porém, a página oficial do Departamento de Polícia Federal no Facebook noticia "seis prisões".

Cooperação Brasil-China

A ação foi possível após a ratificação do acordo de extradição entre os dois países (Brasil e China) no começo de 2015 e já houve um crescimento significativo na cooperação entre a Polícia Federal e Interpol, observando-se a princípio um aumento significativo na imigração de foragidos chineses para o Brasil, principalmente, para se estabelecerem na cidade de São Paulo. #Crime #Casos de polícia