A promotora Nicole Colombo Arnoldi, de apenas 35 anos, foi encontrada morta na noite deste último domingo (29) em seu apartamento, na cidade de Rio Branco, no Acre. De acordo com a Polícia Civil que está investigando o caso, ela foi atingida por um tiro e o Ministério Público do Acre já está averiguando para se posicionar sobre sua morte.

Um dos últimos casos de Nicole Arnoldi foi uma investigação a respeito de um linchamento ocorrido no município de Bujari, localizado a pouco mais de 20 quilômetros de Rio Branco.

O velório foi na sede do Ministério Público do Acre, no centro da cidade e os familiares estão tristes e indignados com a morte da promotora.

Publicidade
Publicidade

Enquanto o velório estava acontecendo, Talles Fonseca, amigo da promotora e também colega de profissão, informou que a mãe de Nicole Colombo Arnoldi chegou a ligar para ele no domingo pedindo ajuda.

A mãe da promotora pediu para ajudá-la a arrombar a porta do apartamento e entrarem na residência de Nicole, mas não porque ela sabia que a filha estava morta e sim para levá-la ao Pronto-Socorro alegando que a filha tinha depressão.

Quando a porta foi arrombada, o amigo da promotora e também sua mãe viram o corpo sobre a cama. Nicole estava agonizando e eles entraram em desespero.

Talles contou que ainda tentou fazer massagem cardíaca, mas já era tarde demais. Ele revelou que há alguns meses a promotora estava enfrentando uma depressão e vinha fazendo uso de vários medicamentos. Acontecia dela dormir até 3 ou 4 dias seguidos por causa dos medicamentos.

Publicidade

O corpo da promotora será encaminhado para a cidade de Araraquara, em São Paulo.

Oswaldo D'Albuquerque, procurador geral de Justiça, confirmou que até o momento a hipótese que está sendo aceita é que a promotora realmente tenha cometido suicídio.

O Ministério Público do Acre divulgou uma nota lamentando a morte da profissional e fez questão de destacar sua competência no trabalho que vinha sendo realizado desde 2009.

Nicole ficou conhecida nacionalmente ao atuar no caso "Telexfree" e o caso acabou ganhando repercussão internacional. #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia