A agência de notícias Associated Press publicou ontem (25) uma investigação sobre Angélica Pereira, uma jovem mãe brasileira de 20 anos. Durante a sua gravidez, Angélica foi picada por um mosquito e foi infectada pelo vírus zika. Meses mais tarde, quando a sua bebê nasceu, foi diagnosticado microcefalia, uma condição neurológica que pode comprometer gravemente o desenvolvimento mental. Devido a esse e  muitos outros casos, os investigadores começaram a associar o vírus zika à microcefalia.

Durante as primeiras semanas da sua gravidez, um mosquito picou Angélica Pereira. No dia seguinte ela acordou com febre e dores de cabeça e teve que procurar ajuda médica.

Publicidade
Publicidade

No hospital, o médico informou-a que estava com zika, porém, nem ela e nem o médico associaram, na altura, o vírus à possíveis problemas com a gestação.

Em outubro nasceu Luiza e de imediato lhe foi diagnosticado microcefalia. Angélica ficou desesperada, mas depois de se informar melhor sobre a doença, ficou mais tranquila e esperançosa com o futuro da sua filha, isso porque existem casos em que essa condição neurológica permite uma vida perfeitamente normal.

Entretanto, os médicos que acompanharam a bebê Luiza chegaram à conclusão de que o vírus zika poderá ter sido a principal causa da microcefalia. Suspeitas que aumentaram ainda mais quanto tiveram acesso às estatísticas sobre o impacto da doença no Brasil.

Mais de 2500 novos casos em 2015

Nesse ano que está terminando, nasceram no Brasil mais de 2700 bebês com microcefalia, um número muito superior ao ano passado.

Publicidade

Em 2014 nasceram apenas 150 crianças com esse problema de saúde e, devido a esse enorme aumento, soou o alarme entre as autoridades de saúde brasileiras, que estão associando o vírus zika ao aumento de casos de microcefalia. No entanto, vários especialistas internacionais estão pedindo calma, uma vez que tal associação ainda não está totalmente comprovada.

Número assustador de casos de zika

As autoridades de saúde brasileiras estimam que entre 500 mil a 1.3 milhões de pessoas já foram infetadas pelo vírus zika desde que ele foi descoberto, em maio, no Brasil. Essa doença, que é transportada por um mosquito, foi descoberta há menos de dois anos e se tem espalhado rapidamente pela América do Sul e América Central.

Esperam-se agora novos desenvolvimentos por parte dos investigadores e das autoridades brasileiras. Para já os médicos pedem a todas as mulheres grávidas que se tentem prevenir o melhor possível das picadas de mosquito e que, caso sejam picadas, se dirijam de imediato a uma unidade de saúde.

O que você pena sobre todos esses casos de microcefalia que estão sendo diagnosticados em recém-nascidos? Acha que estão associados ao vírus zika? Escreva a sua opinião nos comentários! #Governo #Medicina #sistema de saúde