A decisão foi tomada pela 1ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo, no Estado de São Paulo, após uma solicitação do Ministério Público. De acordo com a decisão judicial, as operadoras terão de realizar o bloqueio do aplicativo, mas o sindicato não soube informar se a Vivo, TIM, Oi, Claro, Sercomtel e Algar Telecom cumprirão a decisão.

Se a #Justiça determinou bloqueio em todas as empresas de internet, o aplicativo não poderá ser acessado se quer pela rede Wifi, o que aumenta mais ainda a preocupação dos usuários. Até o momento, não houve confirmação de outras operadoras.

O WhatsApp vem conquistando cada vez mais a população mundial.

Publicidade
Publicidade

Recentemente, liberou o serviço de chamas gratuitas entre seus usuários, o que tem sido bastante atrativo e talvez uma concorrência para as operadoras de telefonia móvel.

Em entrevista com alguns usuários pelo próprio aplicativo, a notícia não foi bem recebida. “Me prejudica pois trabalho com atendimento, recepção no centro de artes da UFF e uso o WhatApp para me comunicar com a diretoria. Daí vou ter que o usar o bom e velho SMS”, disse Gleyce, do Rio de Janeiro.

A Gabriela Lahm, do Rio Grande do Sul, também não gostou da novidade. “Pretendo usar outras redes. Não gostei da notícia, pois o #WhatsApp é uma forma eficaz de comunicação rápida”, disse. 

O Eduardo também terá problemas com o trabalho. “Preciso do Whatsapp pra falar com colegas de trabalho. Se não tiver ele, vou ter que procurar outra maneira”, relata.

Publicidade

Não há quem goste da notícia, pois o aplicativo oferece um ambiente interativo e de rápida comunicação. A decisão poderá interferir até em negociações, devido às possibilidades oferecidas pelo WhatsApp, o que aumenta ainda mais sua necessidade.

De acordo com uma pesquisa realizada recentemente pelo Ibope, 93%, das 2 mil pessoas entrevistadas, têm o mensageiro instalado em seu aparelho #Celular, bem a frente do Facebook, que tem 79%, o que demonstra a necessidade atual do aplicativo.

O WhatsApp voltará a funcionar normalmente a partir das 0h do dia 19 de dezembro.