A GPL construtora recebeu nesta segunda-feira (04), uma multa no valor de R$ 19.166,40, após agentes sanitários da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) encontrarem, pela segunda vez, focos de mosquitos Aedes aegypti em um de seus prédios em construção do Setor Marista, região nobre da capital goiana.

Segundo os agentes, foram encontrados copos descartáveis e caixas d’água abertas contendo larvas do mosquito. O diretor de Vigilância em Zoonoses da SMS explicou que alguns dos insetos já se encontravam no último estágio antes de se tornar mosquito e que o risco para toda a região era muito grande.

De acordo com o diretor, os mosquitos procuram o sangue humano, e as primeiras pessoas encontradas seriam os próprios trabalhadores da obra.

Publicidade
Publicidade

Não sendo o suficiente, os mosquitos migrariam pela região logo em seguida.

A construtora alegou estar tratando o local com cal e cloro após a primeira visita dos fiscais no mês de dezembro, sendo informada na manhã desta segunda-feira que este procedimento não é eficiente. De acordo com a direção da GPL, maiores cuidados serão tomados para resolver este problema.

Multa mais pesada

Com os recentes casos de zika vírus, febre amarela e chikungunya, além da dengue, o mosquito Aedes aegypti tornou-se muito mais perigoso e fez com que algumas medidas fossem tomadas para o combate do inseto.

Está em vigor desde 22 de dezembro um novo valor de multa para proprietários de imóveis que forem flagrados com focos de Aedes aegypti. Na capital Goiânia, o valor é calculado com base em uma Unidade de Valor Fiscal de Goiânia, que atualmente equivale a R$ 53,24.

Publicidade

A quantia paga varia entre 36 e 360 unidades, atingindo assim um máximo de R$ 19.166, 40. Até as mudanças serem adotadas, a multa para estes casos variava de 18 a 180 unidades fiscais.

Números que preocupam

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, até o dia 26 de dezembro de 2015, data do último registro referente ao ano, mais de 78 mil casos foram notificados em Goiânia, com 32 mortes confirmadas.

No estado goiano, foram mais de 187 mil casos, resultando em 81 mortes, novo recorde no estado que forçou o governo a decretar estado de emergência sanitária.

E você, está fazendo a sua parte contra o Aedes aegypti? Compartilhe esta notícia para que mais pessoas se juntem neste combate. #Dengue