Na tarde dessa quinta-feira (14) um vazamento de gás em um contêiner provoca fogo e atinge terminal de cargas em Guarujá, litoral de São Paulo. Segundo o Corpo de Bombeiros, o vazamento de gás se deu na área da Local Frio, que fica no terminal 1, precisamente no Distrito de Vicente de Carvalho, no Guarujá. Esse incidente, que acorreu nessa tarde por volta das 15h30, provocou uma nuvem de fumaça que além de Guarujá, já atingiu também a cidade de Santos. 

O incêndio que começou em um contêiner se deu por um vazamento de ácido de cloro isocianúrico de sódio e já atingiu outros doze contêiners. Mas a área já foi toda isolada pelo Corpo de Bombeiros, segundo informação passada pela Codesp, que é responsável pela área.

Publicidade
Publicidade

A preocupação inicial seria que fosse um vazamento de amônia, por ser altamente tóxica, mas essa hipótese já foi descartada pelo Corpo de Bombeiros.

Moradores de Guarujá estão procurando atendimento hospitalar, devido ao fato de sentirem irritação nos olhos e dificuldades para respirar. Uma névoa densa encobre a principal avenida de Guarujá, a Santos Dumont. Devido à grande procura por máscaras, já acabou o estoque dos Postos de Saúde e das farmácias. Ainda segundo moradores, logo após o vazamento a fumaça rapidamente tomou conta da cidade.

Foi informado pela assessoria de imprensa da Local Frio que o acidente aconteceu porque o contêiner que armazenava o produto químico foi invadido pela água das chuvas, gerando uma reação química, que, se inalada pelas pessoas, pode ser muito prejudicial para a saúde.

Publicidade

Em nota à imprensa, a prefeitura de Guarujá diz que está monitorando a situação juntamente com a Defesa Civil Estadual, Corpo de Bombeiros, Exército e secretarias de Saúde, Meio Ambiente, Governo e Defesa Social.

A travessia de pessoas entre Vicente de Carvalho e Praça da República foi suspensa até que a situação seja normalizada, informação passada pela assessoria de imprensa da Dersa, que é responsável pelas travessias entre Santos e Guarujá.

"A circunstância é grave, e a orientação é que moradores de até 100 metros, aproximadamente, do local, saiam das suas casas e procurem abrigo longe da fumaça tóxica. Se caso sentirem-se mal, procurar ajuda em uma UPA e evitar chuva, pois ela está contaminada por elementos químicos que, em contato com a pele, podem queimar", diz a Prefeita Maria Antonia de Brito (PMDB). #Natureza #Crime