"Nós somos mais populares que Jesus Cristo", esta foi sem dúvida uma das frases mais famosas ditas por alguém fazendo referência ao cristianismo, proferida pelo ex-Beatles John Lennon, no dia 04 de março de 1966, numa entrevista à Maureen Cleave, jornalista do London Evening Standard de Londres, na Inglaterra.

Talvez nosso ex-presidente Luís Inácio #Lula da Silva (#PT), não ganhe lá fora a popularidade do autor da célebre frase, mas aqui no Brasil, mais uma vez, o petista Lula volta a ser destaque de notícias em todas as mídias, mexendo com a opinião de vários setores da imprensa e da sociedade.

Desta vez, não pela iminente confirmação de seu envolvimento em escândalos de corrupção, mas sim, por mais uma de suas declarações polêmicas, envolvendo, instituições públicas e mais uma vez #Religião.

Publicidade
Publicidade

A declaração foi num café da manhã desta quarta-feira (20), realizado no Instituto Lula, que reuniu blogueiros simpatizantes do PT e do ex-presidente, para uma coletiva de imprensa, 

A afirmação veio como resposta à primeira pergunta feita por um dos participantes, sobre as investigações de corrupção no país, onde ele de modo fatídico declarou, que não teria neste país (Brasil), "uma viva alma mais honesta do que eu [Lula]", numa pretensa autoproclamação, de que ele seria o homem mais honesto da nação, estendendo suas comparações ao Ministério Público e a Polícia Federal, instituições de maior credibilidade hoje no Brasil, e não satisfeito, acrescentando ainda à sua comparação, as igrejas Católicas e Evangélicas.

A afirmação na qual ele credita a si próprio o título de "homem mais honesto da nação", colocando-se acima ou no mesmo nível dos representantes máximos das instituições públicas e religiosas aventadas, teve grande repercussão e chocou a imprensa, por ter sido feita num contexto onde a cada dia crescem as evidências da participação dele nos esquemas de corrupção nas investigações da Polícia Federal, que procura fechar um cerco em torno das pessoas de relacionamento mais próximo do ex-presidente.

Publicidade

Embora Lula ainda não esteja sendo investigado oficialmente, teve seu nome citado em declarações de delatores e já foi intimado a depor como testemunha algumas vezes pelo Ministério Público.

Pesa ainda sobre Lula, o suposto envolvimento de seu filho caçula, Luís Cláudio Lula da Silva, em supostas fraudes no julgamento e venda de sentenças no CARF (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais) que teriam favorecido empresas do setor automobilístico (Operação Zelotes).

Não é a primeira vez que Lula envolve cristãos em suas declarações polêmicas, em um discurso à sindicalistas em maio de 2015 ele ironizou os evangélicos, fazendo piadas com a cobrança de dízimos e a crença dos cristãos, dizendo ironicamente, que os sindicalistas deveriam imitar os pastores evangélicos, que sempre acham justificativa de seus problemas culpando o diabo, fazendo ainda comparação da cobrança da contribuição sindical com os dízimos "cobrados" nas igrejas evangélicas, em meio ao seu discurso ele diz: "E a solução esta bem ali, é Deus, pague seu dízimo que Jesus te salvará" se dirigindo aos lideres sindicalistas.

Publicidade

O vídeo da entrevista foi amplamente divulgado nas redes sociais e não demoraram surgir comentários, nos chamou a atenção, em especial o de um internauta, que comentou:

"Lula se superou, só perde agora, para ex-Beatles John Lennon: 'Nós somos mais populares que Jesus Cristo.'"

 Veja no vídeo: