Quem acessa o site do Governo Federal, que reúne as principais notícias sobre o país, notou que navegar na página ganhou um "incômodo", a presença de um inseto que vem atormentando os brasileiros também na vida real: o mosquito Aedes Aegypti, que transmite a #Dengue, a chikungunya e agora o vírus zika.

Na verdade são exibidos três mosquitos sobrevoando na página principal do Portal Brasil. A estratégia do #Governo é justamente alertar a população do perigo causado pelo inseto. Ao clicar em um deles, aparece um grande banner na tela com uma mensagem em um fundo vermelho, que diz: "Não adianta apenas matar o mosquito. Não podemos deixar ele nascer.

Publicidade
Publicidade

E isso depende de todos nós. Saiba como fazer a sua parte em pouco tempo".

Ao clicar neste banner o internauta é levado para a página http://combateaedes.saude.gov.br, administrada pelo Ministério da Saúde. Nela, é possível encontrar tira-dúvidas com explicações sobre o que é, quais o sintomas e como tratar cada uma das três doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti. Traz ainda as últimas notícias sobre as doenças, como os últimos dados de infectados, além de dicas para atuar no combate a proliferação do mosquito.

Organização Mundial de Saúde entra em alerta

A Organização Mundial de Saúde (OMS) programou uma reunião de emergência para a próxima segunda-feira (1º de fevereiro) a fim de debater uma saída contra a proliferação do #Zika Vírus, que, segundo a diretora-geral da OMS, "se propaga de maneira explosiva" no continente americano.

Publicidade

O Brasil continua sendo o país com mais casos de pessoas atingidas pelo zika vírus - cerca de 1,5 milhão -, mas outras 23 nações já chegaram a detectar pessoas infectadas. Apenas o Canadá e o Chile ainda não registraram nenhum caso da doença.

Na reunião de segunda-feira, a OMS deve decidir se a epidemia pode ser definida como "uma urgência de saúde pública de nível nacional". Foi essa a definição dada a epidemia do vírus Ebola, que atingiu fortemente diversos países do continente africano.

A chegada das Olímpiadas Rio 2016 também é motivo de preocupação, visto que o fluxo de entrada de pessoas no Brasil vai aumentar consideravelmente. Até lá, no entanto, é esperada uma solução para amenizar a transmissão da doença.

Está marcado para a quinta-feira, 4 de fevereiro, um grande mutirão envolvendo 220 mil militares será realizado em 356 municípios brasileiros. Desses, 115 cidades possuem dados alarmantes de casos de microcefalia, causada pelo zika vírus.