Uma polêmica se espalhou pela internet de maneira viral: o Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo proibiu um médico veterinário de continuar atendendo de graça #Cães e #Gatos de famílias pobres da cidade paulista de São Carlos.

O médico Ricardo Fehr Camargo e sua esposa possuem uma clínica veterinária e atendem os clientes de segunda a sexta-feira, mas aos sábados se dedicam ao atendimento da população carente que não tem condições financeiras de levar seu animal de estimação ao veterinário.

A atitude do médico surgiu depois que viu que mesmo encaminhando as pessoas para órgãos públicos e ONGs, ninguém ajudava e os #Animais das pessoas pobres continuavam doentes e sem atendimento.

Publicidade
Publicidade

Então ele decidiu fazer uma triagem social, onde avalia se a pessoa realmente não tem condições de pagar uma consulta e confere atendimento gratuito aos sábados.

Tudo ia muito bem, até que certo sábado, com cerca de trinta pessoas aguardando para passar seus animais na consulta veterinária, uma fiscal do CRMV surgiu e o notificou que essa pratica é proibida pelo Conselho e que ele pode passar por um processo por descumprir as normas da entidade.

O médico contou a sua história através de um vídeo e pediu a colaboração de todos que o assistissem, a fim de que o máximo de pessoas saibam do problema. Seu trabalho é de utilidade pública, pois está atendendo gratuitamente a população carente, uma vez que o poder público e as ONGs não estão atendendo, seja por falta de estrutura e investimento ou por simplesmente não existir interesse em conferir esse tipo de serviço.

Publicidade

Repercussão gerou indignação e ação

Sabendo do ocorrido, o deputado tucano Cauê Macris (PSDB-SP), protocolou uma convocação para Mario Eduardo Pulga, presidente do CRMV para explicar o motivo da proibição, uma vez que esta parece muito estranha. O deputado não descarta realizar uma investigação para saber o real motivo da proibição de uma atividade de total respaldo social e utilidade pública.

Através de comentários em sites e redes sociais, alguns internautas cogitaram a hipótese do médico estar sendo perseguido por algum desafeto, uma vez que a fiscal chegou ao local após receber uma denúncia. Tanto quem paga pelas consultas, quanto quem é dependente do atendimento gratuito para os animais não teria motivos para denunciar um serviço prestado, até porque, não é crime um veterinário ou qualquer outro especialista médico realizar atendimentos gratuitos à população carente. Ao contrário, é uma ação que contribui para o desenvolvimento social.

Assista ao vídeo divulgado pelo médico Ricardo, que tem recebido milhares de mensagens de apoio de internautas de todo o Brasil.

 

Você concorda com essa situação contraditória? Compartilhe a sua opinião deixando um comentário na notícia.