Em Belém, o NPJ (Núcleo de Prática Jurídica), órgão de extensão do Curso de Direito de Instituição de ensino superior particular, realiza consultas jurídicas para a população gratuitamente.

Os alunos que estão cursando a área de Direito, prestam serviços à população, e o Núcleo Jurídico trabalha em conjunto com a Defensoria Pública. As pessoas procuram a assistência gratuita, espontaneamente.

Elas recebem atendimentos diários, através dos mestres e advogados, junto com os estudantes que realizam ações de ordem civil e penal.

De acordo com a responsável, o projeto tem a função de ajudar e orientar as pessoas que buscam atendimento na área.

Publicidade
Publicidade

Tem como meta criar condições para que o aluno tenha a experiência de praticar as teorias que adquire em sala com o professor.

Para o aluno é uma forma de crescimento, pois irão acompanhar no dia a dia a rotina de um advogado e adquirir conhecimentos, orientações dos seus superiores, que nada mais são do que profissionais do Direito. Eles poderão realizar atendimentos, conforme disse Tarita Cajazeira (Coordenadora).

Andrea Pinto (professora), disse que são dois os fatores necessários para que aconteça o trabalho, "respeito no atendimento e responsabilidade com a pessoa”. De acordo com ela, o aluno não tem a prática do atendimento e precisa ter o respeito ás situações e pessoas.

É necessário que o aprendiz se solidarize com os problemas pelos quais as pessoas passam e cumpra o tempo estabelecido.

Publicidade

Dilma Costa (vendedora) está com o Núcleo de Práticas Jurídicas há três anos. Ela abriu um processo em desfavor de um vizinho que tem danificado a sua propriedade. A sua amiga tinha um processo de pensão alimentícia e o Núcleo resolveu o caso e a mesma indicou o atendimento para a vendedora.

Euston Carvalho (marítimo) possui dez filhos e por dez anos pagou pensão alimentícia para eles. Resolveu procurar o Núcleo Jurídico e conseguiu ser exonerado das obrigações.

Ele disse que havia realizado a pensão em Macapá e enviaria uma carta precatória, mas teria que aguardar. Segundo Euston, o NPJ (Núcleo de Prática Jurídica) deu a ele um ótimo atendimento, através dos alunos (estagiários) e obteve todas as informações necessárias.

OS ALUNOS

Felipe Araújo, que estuda no 9º período do Curso de Direito, disse que através do projeto pôde descobrir a sua verdadeira vocação e que deseja ingressar na área jurídica e se tornar um advogado. Mais tarde, o estudante pretende prestar concurso público.

INFORMAÇÕES

Os que precisarem de atendimento na área jurídica poderão procurar o NPJ (Núcleo de Prática Jurídica) na TV, Tupinambás, 461- Batista Campos ou ligar para o número 33236014, no Pará. #Justiça