Em discurso realizado em sessão solene que marca a abertura dos trabalhos do Legislativo, nesta terça-feira (2), no #Congresso Nacional, entre vaias e aplausos a Presidenta Dilma defendeu a CPMF, a reforma no sistema previdenciário brasileiro e o limite de gastos públicos.

CPMF

Com a alegação de que a contribuição provisória sobre movimentações financeiras (CPMF) vai ser um imposto de caráter temporário, a Presidenta tentou convencer os congressistas a aprovarem medida que recria a extinta CPMF, alegou também que o dinheiro arrecado com este tributo vai equilibrar as contas da união e equilibrar a inflação, sendo em curto prazo, a melhor solução disponível para o pais.

Publicidade
Publicidade

Os deputados da oposição a vaiaram e chegarão a erguer cartazes com os dizeres "Xô, CPMF".

Dilma falou também do programa social "Minha Casa, Minha Vida", voltou a falar da proposta que prevê a utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) por parte dos trabalhadores do setor privado, como garantia na obtenção de crédito consignado.

Reforma da Previdência Social

Outro tema abordado pela Presidenta foi o da reforma no setor previdenciário brasileiro. Segundo ela, com o aumento da população de pessoas idosas, a sustentabilidade da Previdência Social será um desafio para a política fiscal, e, portanto, a reforma deve ser de caráter urgente. Como exemplo aos congressistas, ela usou os gastos do #Governo com a Previdência e o benefício da Prestação Continuada (BPC) no ano de 2015, que foi responsável por 44% dos gastos da união.

Publicidade

Ressaltou ainda que se mantiver o cenário atual, estes mesmos gastos no ano de 2050 serão ainda mais exorbitantes, pois a população nacional acima dos 65 anos será três vezes maior.

Corte de gastos públicos

Em sua mensagem, Dilma ainda pediu aos congressistas para aprovarem propostas que venham disciplinar os gastos do governo com despesas primárias. Segundo a chefe do executivo, a medida também é urgente, visto os altos gastos do governo não condizentes com a política fiscal do país nestes tempos de crise. #Dilma Rousseff