Os feirantes que trabalham no mercado Ver-o-Peso (Belém-PA) levaram aos deputados estaduais na Assembleia Legislativa do Pará, várias solicitações referentes ao plano para reforma da feira livre. O mesmo foi idealizado pela prefeitura municipal da cidade de Belém.

O MPF (Ministério Público Federal) está atento aos acontecimentos e acompanha os fatos. Foi passado ao órgão um ´abaixo-assinado` feito pelos trabalhadores e interessados nesta terça-feira (23) e foi realizada a formalização para averiguação da proposta.

Daniel Bandeira (presidente da Associação dos Balanceiros e Comercialização dos Pescados), disse que é preciso inserir todos os âmbitos que abrangem o complexo e que as solicitações dos feirantes devem ser atendidas.

Publicidade
Publicidade

Os trabalhadores da feira reivindicam a permanência da estrutura com as barracas associadas e que construam creches para atender os trabalhadores da feira. Eles querem que sejam criados locais para a realização da feira (do peixe e do açaí), e assim as melhorias beneficiarão a todos.

Ponto turístico famoso em Belém

O mercado Ver-o-Peso é famoso e conhecido turisticamente no Pará, e ganhará através da Prefeitura de Belém o repasse de R$ 9 milhões em infraestrutura e contará com mais R$ 25 milhões, que vem de uma parceria com a Sedop (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas).

Através dos recursos financeiros, poderão realizar as obras necessárias que irão reestruturar e melhorar o setor de estacionamento de carros, o piso e os boxes.

A obra inclui a implantação de instalações hidrossanitárias, melhorias na iluminação dos locais e a reestruturação do Solar da Beira.

Publicidade

As críticas

As pessoas que trabalham no local têm criticado o projeto. As associações de classe que defendem o mercado estão insatisfeitas, pois para eles, as obras propostas mexem com especificações do mercado.

O mesmo é tombado pelo Patrimônio Histórico e as opiniões se dividem. Alguns feirantes optam pela permanência da estrutura original, enquanto outros pelas mudanças.

Diante do impasse, a comissão dos Direitos Humanos da Alep resolveu nesta terça-feira (23), convocar uma audiência pública para o dia 19/03, onde estarão presentes os feirantes, os representantes da Prefeitura da cidade de Belém, que são os responsáveis pelo projeto, e ainda contará com a presença dos deputados estaduais. #Inovação #É Manchete!