Envolvido com movimentos sociais e com a esquerda brasileira, Sebastião Salgado foi uma das muitas pessoas que deixaram o Brasil entre os anos 60 e 70 para fugir da repressão dos chamados “anos de chumbo”. Com a situação política atravessada pelo país na ocasião, o fotógrafo buscou refúgio na França, onde realizou um mestrado em Paris, cidade que reside até hoje.

No entanto, o fotógrafo e sua esposa não foram esquecidos facilmente pela ditadura. Em 2014, arquivos do período da ditadura militar revelaram que Salgado teve seus passos seguidos enquanto estava no exterior. “Foi um momento difícil da minha vida, cheguei a pensar que nunca mais voltaria ao meu país”, disse ele ao jornal Folha de S.

Publicidade
Publicidade

Paulo sobre a ocasião.

De acordo com reportagem publicada pela revista IstoÉ em novembro de 2014, o fotógrafo também teve seus passos seguidos pelo regime após a assinatura da Lei de Anistia, quando pode finalmente retornar ao país e onde realizou alguns de seus mais importantes projetos fotográficos. #Governo #Curiosidades #Arte