Os Estados arrecadaram em 2015 quase R$ 30 bilhões a menos do que era esperado, por causa da crise econômica que assolou e continua assolando o país, atingindo a todos os setores. Com a Lei de Responsabilidade Fiscal vieram os limites sobre os gastos a serem feitos. Com isto, a situação está complicada e tem muitos governadores reclamando. Por causa deste cenário a expectativa é que em 2016 tornamos repetir o que aconteceu no ano passado, com pagamentos atrasados para os servidores.

A grande maioria dos governadores está contando com uma receita bem menor, pois quando foram eleitos o cenário no Brasil era bem diferente do que eles estão tendo que enfrentar agora.

Publicidade
Publicidade

A verdade é que ninguém se preparou para esta situação; pelo contrário, o país dava sinais de que continuaria crescendo.

Repasses federais diminuíram

Para complicar ainda mais a situação dos estados brasileiros, os repasses federais tiveram uma redução brusca, ficando bem abaixo dos valores repassados há um ano atrás. No Brasil, 20 estados estão comprometidos com suas finanças e se no ano passado já estava difícil, neste ano pode ser ainda pior, pois vários estados já ultrapassaram os limites que estavam estabelecidos e é geral o endividamento dos governos.

Os estados em pior situação são o Rio Grande do Norte, Tocantins, Mato Grosso e o Rio Grande do Sul, que já ultrapassaram e muito os limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal no ano passado.

E o final de ano serviu para mostrar a todo o país os problemas enfrentados por estes estados, como no Rio de Janeiro onde o governador Luiz Fernando Pezão, do PMDB, teve que atrasar o pagamento para os funcionários da "saúde", gerando um verdadeiro caos por todo o estado. Tocantins, Sergipe e outros estados precisaram atrasar o pagamento do 13º salário. No Rio Grande do Sul, a situação é ainda mais complicada e até o pagamento da dívida com a União, que é mensal, vem atrasando mês após mês.

Publicidade

A Lei de Responsabilidade Fiscal prevê várias sanções a quem ultrapassa os limites, mas até ao momento, ninguém foi punido. #Governo #Crise no Brasil