A marca carioca Reserva tem um nome famoso e pomposo como um de seus sócios, o do apresentador Luciano Huck, que aos sábados comanda  o 'Caldeirão' na Globo. Desde segunda-feira, 1º, no entanto, o nome do famoso e da marca começaram a bombar nas redes sociais por algo que ninguém tem a ser orgulhar, um suposto racismo. Tudo começou por conta da polêmica atitude de marketing da Reserva no Shopping RioSul, localizado na Zona Sul do município do Rio de Janeiro. As vitrines da marca mostravam manequins pretos pendurados pelos pés. Eles estavam acompanhados de uma mensagem no vidro, que também estava de ponta cabeça. Muita gente relacionou o episódio à escravidão, quando negros sofreram os mais diversos tipos de tortura. 

O internauta Douglas Soares foi um dos que mostrou o seu descontentamento ao postar uma foto da polêmica vitrine em seu Facebook.

Publicidade
Publicidade

Ele disse que a Reserva sempre tem um mau gosto na hora de passar uma mensagem para seus clientes. "Práticas de tortura e racismo em pleno shopping. E não sou só eu que está falando. Eu nem tinha reparado na vitrine até uma senhorinha negra passar ao meu lado e falar para si mesma: 'que horror!'", explicou Douglas, que imediatamente teve seu post viralizado nas redes sociais.

Em contato com o portal de notícias UOL, a Reserva decidiu se pronunciar De acordo com a marca, seus manequins já eram pretos e são pendurados em outras liquidações da mesma marca. A Reserva chamou a atenção aina para o letreiro que também é invertido, dizendo que isso leva os clientes a pensarem na expressão "O Patrão está Maluco". A empresa disse ainda que em nenhum momento teve a intenção de ser racista

Não é a primeira vez que Luciano Huck e outras marcas vinculadas ao apresentador são acusadas de racismo.

Publicidade

A própria Reserva já fez uma campanha, onde os manequins tiveram suas cabeças trocadas. No lugar delas, cabeças de macaco e veado. A loja ainda usou um slogan dizendo que o preconceito está apenas em cada um de nós. No entanto, nenhuma das ações comerciais rendeu mais do que o que aconteceu com A 'UseHuck', que após um episódio racista com o jogador Daniel Alves lançou uma camisa com a hashtag 'Somos Todos Macacos'.  #Justiça #Crime #É Manchete!